quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

COMPLEXOS BOVINOS FEMININOS


Por conta dos hilários comentários do Ácido-HCL, no último post das Vacas - Viram? Ele agora virou quase um "sócio" do curral! HCL, do além-mar, você é sempre bem-vindo por aqui!

Pois, pois, continuando... Como disse anteriormente, por conta do último post, e na seqüência dele, resolvi traçar aqui breves comentários sobre os mais comuns Complexos bovinos femininos, já que é este um dos propósitos desse blog, além da indiscutível diversão que nos proporciona e de fazer amigos, é claro! (Sim, Somos Todas umas “Vacas-Gasparzinhas”), possui também o louvável e cultural objetivo de elucidar e identificar, as grandes diferenças existentes entre bois e vacas desde que o mundo é mundo! Tudo para o bem, e a felicidade geral da "Nação Bovina", e, sem sombra de dúvida, para que a gente se entenda melhor...

Mas vamos agora, ao que interessa: Aos complexos mais comuns, de que se vêem acometidas as vacas. Quase todos de ordem estética. No fundo, no fundo, acho que tudo isso advém, de nosso instinto primitivo “vaquístico” de sempre estar a querer agradar a vocês, BOIS!

Complexo de Vaca-Gorda: Toda vaca normal, desde que nasce, e, a menos que já nasça com anorexia congênita, carrega ao longo de sua existência bovina, o Complexo de Vaca-Gorda! Esse absurdo, e por vezes delirante complexo feminino, se agrava de sobremaneira na adolescência feminina, onde em sua grande maioria, as vacas parecem de fato, um pouco mais rechonchudas do que o normal! Mas tudo isso se dá mesmo, por conta de sua natural revolução hormonal, só que em tal época, as vacas ainda não entendem muito bem a si próprias e a coisa, a partir de então, pode evoluir ou não para níveis patológicos. Juro! Conheço muitas vacas, que mesmo pesando reles 45 quilos, e medindo 1,70 carregam o estigma de se tratarem de vacas-gordas!

A ditadura imposta pela sociedade de consumo, e pelo mundo “fashion” contemporâneo, costuma também agravar esse tipo problema. E, por conta dela, quantos prazeres gastronômicos, deixam as vacas de desfrutar com sofreguidão ao longo da vida, só porque talvez, certamente um boi-costureiro -gay, metido à besta, determinou que é fashion, ser Vaca-magra! Melhor dizendo, ser Vaca-Seca!

Um “meio-termo”, me parece sempre ser o mais adequado para tudo na vida.

Complexo de peitos e de traseiros bovinas: Esse tipo de complexo, é milenare, e variam também de acordo com as tendências culturais e fashion, do momento. Houve época, em que a regra era a vaca ter peitos enormes e desproporcionais. Já em outras épocas, as vacas de peitos pequenos, eram as mais valorizadas! Atualmente, graças à inovadora revolução do “silicone”, as vacas agora já podem relaxar, e ter os peitos que melhor lhe aprouverem, de acordo como sonho de consumo de cada uma!

Já com relação à traseira da estética bovina feminina, a cultura nacional sempre se mostrou impiediosa nesse item, para com nós. vacas! Por conta da cultura bovina nacional, ou a vaca nasce com um “bumbum” descolado e empinado, ou estará condenada de vez, ao ostracismo bovino masculino, pelo menos, no que diz respeito a esse item.

Mas relaxem, bovinas: O uso adequado de um saltinho qualquer, por sempre dá um “up-grade” na traseira da vaca. Já na praia, sei não... Ou a vaca adota uma postura incorreta, sabendo de antemão, que lá na frente terá uma lordose incurável, ou recorre mesmo aos recursos da cirurgia plástica moderna! – Neura-feminina, absolutamente descabida e adquirida por conta de vocês bois “nacionais”! – Humpf!

Celulite Bovina Feminina: Toda vaca tem, quase que sem exceções! Umas mais, outras menos e ainda não há uma solução científica adequada e eficaz para o problema! Graças aos céus, os bovinos sempre se mostraram quase que “míopes”, na questão, a menos, é claro, que o problema de fato seja muito grave! Salvas pelo instinto primitivo e selvagem masculino, vez que o objetivo primordial deles, diante de qualquer vaca, sempre se mostrará eu diria “mais elevado”...

Complexo de ser Vaca-alta ou vaca-muito-baixa: As vacas baixas, minimizam o problema com um salto, para as muito altas, não vislumbro muita solução... Mas, cá entre nós: Trata-se de complexo nada relevante assim, já que na horizontal, bois e vacas estão a permancer, no mesmo nível!

Neuras e complexos advindos maternidade: Esse complexo é mais do que complexo e exclusivo das vacas! Quem já foi, ou ainda não é uma vaca-mãe, sempre terá infindáveis neuras bovinas nesse sentido, mas como o assunto é longo, vou deixa-lo para um outro “post” por certo, mais complexo!

Agora vejam vocês: Não temos quaisquer complexos ou neuras por eventualmente falar demais, por externar nossas idéias, pensamentos e sentimentos com clareza diante de quem quer que seja, por ter a genitália grande ou pequena, por ser melhor ou mais bem sucedidas profissionalmente que o vizinho(a) bovino do lado, e por aí vai ...

Mas invariavelmente possuímos, sim, essas pequenas “idiossincrasias estéticas”, que certamente estão a tornar sem sombra de dúvida, o “mundo bovino” ao redor, muito mais bonito!

Se porventura qualquer vaca com a qual se depararem não tiver nenhuma dessas neuras, certamente não é uma vaca, verdadeiramente vaca....

Mas, agora falando sério: Sendo a vaca gorda, magra, alta ou baixa, o importante mesmo, é ser a vaca feliz consigo mesma, já que a beleza interior de qualquer vaca é que deve ser realmente valorizada... Mas... Infelizmente, a massiva maioria dos bois, ainda não estão a pensar dessa forma ... Para eles, o que importa mesmo, é a Vaca ser BOA sempre, mesmo que dentro desse conceito tipicamente bovino masculino, não resida qualquer resquício de bondade !

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Pérola

Minha amiga me liga, que falar sobre algo que leu nas Vacas. Pensei: "Oba, elogios, adoro!". Nada disso. Queria era comentar sobre a pesquisa que o HCL, num comentário, tinha me chamado para participar, no blog dele.

(um parêntese necessário: essa minha amiga Carla é uma das mais sinceras, loucas e desbocadas pessoas que já conheci. Suas tiradas são muito engraçadas e oportunas)

Carla: - Legal a pesquisa do seu amigo. Eu li. E respondi. Ela me fez pensar, sabe?

Eu: - Lá vem... Manda, Carlinha, pensou em que?

Carla: - Esse negócio de que tamanho não é documento é coisa que homem de p... pequeninho inventou.

Sensacional! Frase do dia e propaganda grátis


Frase do dia: "...afinal de contas, malandra é a vaca que nasce na Índia...". Pelas aspas vocês notaram que a frase não é minha. Mas eu adoraria ter escrito isso! Ma-ra-vi-lho-sa. O que ela nos faz pensar? Que somos todas umas vacas, sim, mas nem somos tão malandras assim, quanto gostamos de achar que somos, hehehe!

Peguei lá no engraçadíssimo Fofoquinhas, numa nota de Caio Otávio, o Caô.

E por falar em fofocas, quem gosta de saber tuuuudo da vida das celebridades, mas de um jeito off-circuito Caras-Ego-Contigo, TEM que ler o escrachado Te dou um dado?. Hilário, adoro, leio todos os dias.

Por fim, para os que nem amam o BBB tanto assim... Tem o BigBosta. Muito bom.

Gentem, juro que não ganhei um nadinha pra fazer esse merchan... Tudo na base da admiração, hahaha!


Em tempo: Leiam só o afiadíssimo comentário da Beth:
"Ahhhhhh mas não sei se ser uma vaca indiana é uma boa... A coitada da vaquinha é venerada, idolatrada, sagrada, mas nunca é comida..."

Isso também nos faz pensar, não é?

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Quem vive de passado é museu!

Eu consigo entender o fascínio que o passado desperta na humanidade. Sou daquelas que acredita que estudar o que passou ajuda a entender o presente e até prever o futuro. Isso apenas quando o assunto é História, claro.

Mas gente, quando o passado em questão é o dos relacionamentos, minha opinião muda completamente: o que passou, passou. Simples assim. Acabou? Permita-se um tempo de luto ou de recarga de energias. Ou comemore a liberdade ansiada ou da sanidade mental restabelecida, se for o caso. Pronto? A vida continua, como dizem por aí. E notem que não estou falando só de amores, não. Falo de relações interpessoais em geral. E falo de sentimentos que não deveríamos guardar, também.

Não consigo entender essa gente que passa - ou eu deveria dizer desperdiça - uma vida inteira por um amor acabado ou mal-resolvido, um ódio incubado, uma inveja (não das brancas, DM!) entranhada, uma competição perdida, uma amizade terminada, uma (juro que existe isso, eu sei!) vingança que se quer executar. Quanto tempo, energia e até recursos são gastos por essa gente que vive do que passou... Os museólogos, paleontólogos e arqueólogos dos relacionamentos remoem o passado. E se esquecem do presente e do futuro.

Vacas, principalmente, têm memória de elefante. E quando se apegam aos passados, o fazem com com força, garras e dentes. Coisas de mulher-vaca... É bom ficar de olho... Já disse: vacas magoadas são forças da natureza, terremotos, vendavais, tornados, temporais, tsunamis...

E eu? Ah, já fui arqueóloga, sim. Hoje, cuido do presente, de olho no futuro...

O universo ao redor do seu umbigo

Me impressiono muito quando me deparo com pessoas que acham que o mundo gira por causa delas... Ou, pior, que são elas fazem o mundo girar. Esse tipo de gente acredita piamente que cada ato dos outros é para lhe agradar ou para lhe agredir... Petulância? Prepotência? Vaidade? Ignorância, diria. E eu, como boa vaca que sou, mais do que raiva, tenho pena de gente assim...

E por falar em vacas, nesse caso em particular, são elas as piores. Quando resolvem acreditar que as folhas caem para forrar o chão que elas pisam ou que choveu hoje para estragar a progressiva... Ai, ai, ai... Tenho paciência, não.









A Fada nos deu não apenas um, mais dois selinhos de uma só vez! Obrigada, querida!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

INVEJA BOVINA FEMININA

Lamentavelmente, quase todas as vacas, sem querer generalizar e já generalizando, cometem, de forma quase que habitual e corriqueira, esse venal pecado capital.

Umas vacas mais, outras menos... Mas que todas nós, quase que indistintamente, de vez em quando, e às vezes quase que “sem querer”, praticamos secretamente a inveja de nossas colegas de rebanho, isso é um fato real!

Na prática a coisa funciona mais ou menos assim: qual a vaca por exemplo, que quando esbarra com aquela vizinha, conhecida e/ou colega de trabalho, magérrima, de traseiro sempre empinado, aparência saudável e jovem, e cabelo impecável, que interiormente não se questiona: Mas o que será que essa vaca, faz que eu não faço, para andar sempre, assim? Inveja branca de grau light!

Ou então, aquela sua conhecida vaca, ainda que distante, que apesar de se tratar da antítese, do que costumamos chamar de beleza convencional, e de estar a mil léguas de distância do que venha a ser considerado uma “bovina simpática”, se encontra hoje a namorar e/ou prestes a quase que casar, com nada mais, nada menos, do que com o bovino mais cobiçado da cidade? Inveja branca de grau médio.

Tem também aqueles casos, mais do que comuns, de uma amiga vaca qualquer de suas relações, solteira, absolutamente independente e resolvida, de vida sexual agitada, intensa e variada, que de tanto comentar suas peripécias sexuais faz com que você sinta, no comparativo, como que a sua vida sexual atual, estivesse a se assemelhar a uma “infantilóide” viagem a Disneylândia? Inveja branca quase grave!

Mas deve haver sim, uma absolvição para nós vacas, dessas invejinhas corriqueiras e usuais, vez que, invariavelmente, se encontram elas, sem qualquer maldade, intimamente associadas à vaidade bovina feminina. Eis aí, outro “pecadinho”, que nós vacas, costumamos exercitar com louvor, por conta dos bois, é claro, para nós mesmas, e até mesmo para atiçar, ainda que de forma inconsciente, a inveja das companheiras de rebanho!

Inescusável mesmo, é aquela inveja preta, com matizes de roxo, maldosa, patológica e nociva, e que por vezes atinge de forma letal a vaca ou o boi invejados! Dessa aí, quero distância, e da boiada que porventura nela se consuma!

Portanto, relaxem bovinas, invejar de forma branca, mesmo no grau máximo, é da natureza humana, digo bovina, e não “dá absolutamente nada”!

Mas, não pensem vocês, que estamos sós, nessa “parada invejística”...

Nossos colegas bois, certamente devem exercer com o mesmo vigor esse pecadinho corriqueiro... Tenho por vezes, a nítida impressão, por exemplo, que eles estão sempre a invejar saudavelmente, o boi do lado que tenha o p... MAIOR que o deles! Como disse, coisas da natureza bovina...

Afinal, por essas e por outras, é que SOMOS TODAS UMAS VACAS !

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Príncipes, sapos... Sapos, príncipes!

Já disse umas quinhentas vezes que não acredito em príncipes encantados. E toda vez que meu namorado insiste em me provar o contrário com o que faz ou diz, entôo, secretamente, meu mantra: "Ninguém é perfeito, niguém é perfeito, ninguém é perfeito". Mato dois coelhos de uma cajadada só: ele tenta cada vez mais se superar e eu me poupo de futuras - possíveis - decepções! :-)

Mas nada me comove mais do que sapos tentando virar príncipes... Olha só que graça: os japoneses criaram um curso para ensinar aos homens como dizer "eu te amo" para suas mulheres e agradá-las mais e mais. Achei inútil... Mas fofo! Meninos, essas coisas têm de ser naturais.

Por outro lado, nunca havia ouvido falar de príncipes que viram sapos... Você também não? Então dá uma conferida no vídeo no blog da Bethíssima!

Luxo que vem do lixo

Tirei a manhã para pôr minhas leituras e visitas em dia...
Mas quero deixar uma indicação aqui: Vem do Lixo - Fazendo Arte com Lixo Digital, da talentosa (e bacanérrima e com um homor cáustico que eu a-do-ro!) Nana Hayne. Ah, sim, é aquela do Banana con Peperoncino. Vale a pena conferir, as peças da Nana são um show, um luxo!

Marcadores:


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Quando o Cow Power é demais

De uma amiga minha, por e-mail, sobre o post de hoje:

"Ana, a merda de termos o Cow Power é quando ele se torna um fardo nos nossos ombros, em vez de um superpoder... Aí, amiga, farejamos o que não é para ser farejado. Intuímos o que era melhor que não fosse intuído. Isso, quando acontece comigo, me entristece".

E eu não sei? É, minha linda. Nem sempre ser uma vaca poderosa é fácil... Às vezes era um fardo mais leve sermos lindas vacas "louras" (sem ofensa, é modo de dizer, apenas), inocentes e felizes todos os dias, em quaisquer condições de temperatura e pressão. Meros enfeites dos currais masculinos da vida... Apenas balançando a cabecinha - vaquinhas de presépio dizendo amém. Como dizem, a ignorância é uma bênção...

Pensamento do dia


Só aviso porque sou amiga. É com você que estou falando, cara leitora. Você que enche a boca para chamar a outra de vaca. Que saboreia na língua cada letra da pralavra: V-A-C-A. Enche a boca pra falar: "Aquela va-ca"... Sim, estou falando com você. Presta atenção: há vacas na sua vida. Isso é fato, não vou discutir. Mas... Sempre há um mas, já reparou? Você é vaca na vida de alguém também. Não há como fugir do nosso destino inexorável. Somos todas umas vacas, sim.

(Aqui faço um parêntese pro leitor desavisado. Falo de vaca, aquele xingamento comum que significa um monte de coisas... Menos vagabunda, no sentido bíblico da palavra, entendeu?)

Então, querida, se é para ser vaca, faça-o em cima do salto. Com classe e desenvoltura. Imagine-se a Miss Universo das Vacas... A Princesa Encantada das Vacas. Use todo o seu Cow Power para o bem.

E não se esqueça... Se alguém, homem ou vaca, pisar no seu calo, minar sua paciência bovina, te sacanear... Dê um coice!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Tem Vaca no Maraca!

Depois de um final de semana estranho, no qual fiquei praticamente incomunicável e sem notícias da minha Miguxa preferida, meu rubronegro namorado resolveu levar-nos, eu e meu filhotinho, ao Maracanã, para ver o Fla-Flu.

Genteeeeee! O primeiro Fla-Flu a gente nunca esquece. Eu já tinha ido ao Maracanã, mas não pra ver um clássico. A festa é tão linda que eu já chorei na porta, ao ver uma torcida do meu amado time tricolor cantando o hino do clube antes de entrar. E lá dentro do estádio? Nem tenho palavras pra dizer, me perdoem o chavão. Outro show é a torcida do Flamengo... É tudo de bom ver as bandeiras tremulando, mesmo quando o time está perdendo de 4X1...

Bom, como eu sou mulher, não pude deixar de chegar à umas conclusões bem... femininas sobre o espetáculo futebolístico. Vejamos:

1- De vez em quando, o futebol masculino me parece um esporte de viadinhos. Me desculpem, mas os caras se agarram o tempo todo! É impressionante.

2- Esse negócio de dizer que a torcida do Fluzão é elitizada é balela. É tudo igual. Todo mundo é torcedor. Pronto.

3- MH, retiro o que eu disse naquela sua enquete sobre ser homem por um dia: estádio é lugar de mulher, sim. Vi mulheres lindas e gostosas no meio das torcidas organizadas, sem serem importunadas. Vi mães com filhotes de todas as idades. Vi mulheres de vestido e salto alto (No Maracanã??? Tem dó!), de short, de calça, de saia... Brasileiras e gringas. Cariocas ou não. Tricolores e rubronegras. Todas lá, como se estivessem em casa.

4- Não entendi muito bem esse negócio de torcida organizada: os caram passam mais tempo torcendo do que assistindo ao jogo... E tem uns bandeirões lindos, mas que atrapalham a visão do gramado de vez em quando...

5- Mães de filhos de casamentos desfeitos (ai, como estou engraçadinha hoje!), botem reparo no conselho da Vaca que vos escreve: não deixem que seus filhos aprendam tudo que sabem de futebol com vocês... Insistam para que eles, os filhos, vão aos estádios com homens... Eu vi o brilho nos olhos do meu pirralho. Como ele copiava tudo que o André fazia... A alegria e a incredulidade quando eu deixei que ele gritasse os palavrões dos refrões da torcida e que xingasse a mãe do juiz... (Qual é? Futebol não é isso? Depois, na saída, não perdi a oportunidade de lembrá-lo que o uso de palavrões estava suspenso até a próxima incursão ao estádio e que tripudiar de quem perdeu é feio... Ah, sim... Nós ganhamos!)

6- Por falar em palavrão, me surpreendi com a minha capacidade de xingamentos... Não que eu seja uma freira, mas ontem eu estava mais pra estivador, sacam?

7- Depois de me pegar balbuciando "não, não, não" sem parar, como um zumbi, cada vez que a bola estava com o time adversário, entendi melhor o magrelo na minha frente, que se benzia sempre que a bola estava na área do Fluminense: Somos Todos uns Torcedores Neuróticos!!!

8- Embora os banheiros estejam rescendendo a desinfetante, aconselho às mulheres que, ao invés de sorverem líquidos, tomem um sorvetinho. Bebi um copinho d'água de nada antes do jogo e amarguei uma vontade louca de fazer xixi até chegar em casa. Meninas, se estiver calor, vão de picolé.

9- Esse negócio de que mulher vai aos jogos pra ver as pernas de jogadores é boato masculino... De lá de cima, a gente não distingue nada, nadica.

10- A-há, u-hu, o Maraca é nosso! Limpo, organizado, seguro, cheiroso... Não acreditem em tudo que a imprensa noticia. Jornalista é fogo, hahahah!


Pra terminar. Confirmei que meu respectivo me ama. Muito!!! Me levou pra torcida linda do Flusão. Torceu tanto... A ponto de eu desconfiar que ele, secretamente, é tricolor de coração... Tão fofo que eu nem fiquei sacaneando quando o jogo acabou... Fiquei até com pena! Imagino que, no fundo, antes do jogo, ele achava que ia me sacanear. Foi buscar lã e saiu tosqueado, amor da minha vida... Mas te devo um Fla-Flu na torcida inimiga. E prometo que farei de conta que sou rubronegra... Ai, ai, o que a gente não faz por amor...

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

A DEVIDA RELAÇÃO DE PROPORCIONALIDADE ...

Mãe e filho no banheiro:

- Mãe, quando eu crescer, meu p... vai crescer junto comigo ?

Vaca-mãe, “pega-de-surpresa” absoluta, pelo inusitado questionamento do novilho, resolve responder de forma lacônica, lembrando de imediato de indagação semelhante do adorável JP, novilho da Vaca AP, aqui já retratado em oportunidade anterior.

-Sim querido. Vai crescer de forma proporcional, junto com você !

-Como assim, mãe ? Meu p... vai ser proporcional ? Mas o que é um p... proporcional ?

Mãe divagando... – Bem, proporcional, proporcional é ... aquilo que já te expliquei antes, caramba ! - Você cresce, e ele cresce junto com você ! - Ah tá ! Então o meu p... vai crescer junto comigo, e ficar do mesmo tamanho que eu ? - Claro que não ! Replicou a mãe, já meio desconfortável com o assunto ...
-Ele vai ficar como o do teu pai, tá bem ?

E o bezerro insistente prossegue: - Igualzinho, igualzinho ao do papai ?

A mãe já não se agüenta nas pernas, não sabe se ri ou se chora ...
–Bem, igual, igual, acho que não, afinal cada um tem o seu, mas acho que vai ficar parecido. Achando que a questão estava dirimida!

- Mãeenhêê... O saco vai crescer junto também ? E, quem vai ser o maior, o saco ou o p ....?

-Ai,ai, ai menino! - Todos indistintamente, crescem juntos de forma proporcional, sei lá eu, quem vai ser maior do que quem! - Mamãe não tem p... nem saco, para saber, pergunta para o papai quando ele chegar, OK ?
- Tá bom mãe, não precisa ficar nervosa !
– A mãe não está nervosa, é que essas perguntas ...

Mas, o bezerro pentelho, continuou:

-Mas mãe, você já viu o p... e o saco do pai, você tem que saber, quem é o maior?
- Tá bom!... Suspirou a mãe, tentando manter a naturalidade.
-Acho que são mais ou menos do mesmo tamanho, são proporcionais entre si e pronto!
-Pô mãe! - Lá vem você de novo com essa história de proporcional ...
Para dar por encerrado o assunto, a mãe então com a devida cautela e paciência, tentou ser exemplificativa:
- Meu filho, se seu p... for pequeno, seu saco será pequeno, se seu p... for médio, seu saco será médio, agora se seu p... for grande, seu saco deverá ser grande também. É essa a relação de proporcionalidade, entendeu, agora ?

-AHHHH.....agora sim, eu acho que entendi, mãe !... Então quando eu crescer, eu vou ser Grande, meu p... vai ser Grande, e o meu saco vai ser Grande também... e ainda por todo cima todo mundo vai ser proporcional !

-UFA! Uma vez mais, suspira a mãe aliviada, não podendo deixar de refletir: Bovinos pequenos ou grandes, na “essência”, são todos mesmo iguais !

MORAL DA HISTÓRIA: Depois de muito esforço e paciência da mãe, o bezerro, deve ter entendido a relação de proporcionalidade! Mas o mais curioso da história, é que antes mesmo de haver entendido bem tal conceito, inconscientemente já possuía o desejo de ter o “negócio” grande !

CONCLUSÃO: DARWIN que me perdoe, mas o bicho-homem-boi e seus descendentes evoluiram muito pouco, em relação a suas preocupações atinentes ao “tamanho” e a relação de proporcionalidade das “coisas”! Ou ter “um” pequeno, médio ou grande, é fator determinante para a perpetuação da espécie?

Pois é... Assim continua caminhando a humanidade, melhor dizendo: A “bovinidade” !


Parabéns pra nós...


Só agora me toquei... Ontem, dia seis de fevereiro do ano corrente, fez um ano que as vacas vêm aqui, com uma certa frequência e regularidade para mugir (eu não me canso dos trocadilhos!), bostejar, generalizar, dar opinião onde não somos chamadas e etc, etc... O meu primeiro post, por um motivo desconhecido para mim, sumiu... Só há o primeiro da DM, que data de 07/02/2007.

Falo por mim: graças ao STUV eu conheci um monte de gente bacana. Fiz amigos pra uma vida inteira. Arrumei um amor de verdade. Me diverti pacas... As Vacas mudaram minha vida! rs

Obrigada a todos vocês que passaram por aqui (foram 44728 pacientes visitantes - contados desde 22/07/2007 até a hora que eu escrevi este post). Agradeço as visitas, os comentários, as críticas, os links, os selos, os memes, tudo.

Não, eu ainda não virei blogstar... Nem a DM. E também não recebemos convites para posarmos pra Playboy...

Em cima do salto é mais gostoso!

Vacas, bem que eu e minha amiga e co-autora do blog sempre defendemos o uso salto alto... Eu, quando saio sem o meu fico até triste (a não ser que a ocasião peça minhas também amadas havaianas...).

Agora, está "cientificamente comprovado": segundo uma médica italiana, o uso de saltos altos pode melhorar a performance sexual das mulheres...

Se é verdade? Sei lá. Sei apenas que gosto de usá-los...


Momentinho "Querido Diário":
Querida amiga DM, eu não brinquei carnaval, embora eu goste.
Não estou bronzeada, pois aqui no Rio não parou de chover e eu sou branquela, mesmo.
Nunca usei fantasia de mulher-gato - mas já fui grega e havaiana.
Nenhuma vaca deu em cima do meu amor ou rebolou pra ele - não na minha frente...
Foi pura preguiça que me fez sumir por esses dias... Não postei nem comentei, não é?Voltei para postar os selos que ganhamos... Já estava grave a situação, beirando a falta de educação...
Beijos!

Presente número 3


Vindo do MH, é uma honra... O cara escreve bem pra caramba, quase dá inveja... Eu disse quase, antes que alguém venha nos chamar de vacas invejosas, hahahaha! Agradecidas, MH!

Presente número 2


Esse me fez morrer de rir! O ótimo Mutumutum nos deu o selo "Este blog é escrito com inspiração alienígena"! Acho que é uma ótima forma de definir nosso blog! Amamos, Mutumutum!

Presente número 1

Ganhamos da Van, uma querida amiga, diva até a raiz dos cabelos... Talentosa até não poder mais... Canta como poucas... Escreve como poucas... Obrigadas, linda, adoramos!



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker