segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Sobre chifres, "guampas" e outros adereços

Bovinos e bovinas, que nunca levaram um chifre, uma eventual "guampinha" por menor que seja, ou ainda, que ousem falar que nunca, por essa vida bovina à fora, um dia deixarão de virem a ser premiados com incômodos adereços que atirem a primeira pedra...
Pois é, o assunto é polêmico e em nada agradável, mas por certo faz parte da vida. Então, encarando o problema de frente,(ainda que com chifres) e de uma maneira otimista, devemos ter sempre em mente, que de uma eventual "chifrada", por certo nunca esperada, devemos no mínimo tirar alguma lição de vida. Afinal, quem nos garante que um dia não "chifraremos" também ??? Vale pra todo mundo, né ???
Como já disse antes, "levar ou tomar" um par de chifres de parceiros bovinos com quem mantemos algum tipo de relação, por certo não é uma opção voluntária, mas ostentá-los por onde quer que se vá, aí sim, passa a ser, em meu particular modo de ver, uma dolorosa opção.
Não sei bem às origens de tais expressões populares tais como "levar chifres, tomar guampas ou cornos", nem tive tempo para uma pesquisa mais acurada, no que peço perdão dos leitores, mas por mera intuição, acredito que tais expressões advenham talvez, das dolorosas marcas que qualquer traição, por menor que seja ela, obram por deixar na pele, ou melhor dizendo na "alma" do bovino(a) traído.
Uma "chifrada", atinge ainda para muitos, dimensões mais dolorosas, quando a traição operada, ganha o domínio público, sentindo-se então, o bovino em questão, ou seja o que experimentou os ditos "cornos", além de traído, desmoralizado perante os demais.
Mas singular circunstância, deve no mínimo ser encarada como de somenos importância, a menos que vocês sejam de forma exacerbada, por demais preocupados com a opinião dos vizinhos de rebanho. Sugiro então, aquela música "clássica" que tem por refrão : "Tô nem aí,to nem aí" ...(Pode ser uma atenuante).
Mas falando sério, o que dói mesmo, e aí valem algumas lágrimas e um inevitável e passageiro sofrimento, é a traição em si, àquela insidiosa sensação de se sentir enganado, logrado em seus valores mais íntimos, para não dizer desrespeitado mesmo, pois em algum lugar do passado, você e seu "bovino traidor", por certo em determinado momento, fizeram juras de lealdade, fidelidade, respeito, amizade e amor.
E aí, não adianta, todas essa juras "vão por água abaixo", por conta desse insano(a) traidor(a), porque você, por amor-próprio, não ousaria mais, confiar num sujeito(a) que lhe botou "chifres", não é mesmo ?
Aliás, confiança e credibilidade, são "componentes", que na vida bovina comum, só se logra por perder uma vez.
Há entretanto, os chamados "bovinos mansos", ou seja aquela sub-espécie de bovino, que perdoa pacíficamente um eventual "deslize", de seu companheiro(a).
Mas eu particularmente, e por opção própria não faço parte deste rol.
Até porque não acredito nesse "afável perdão". Ele me soa como dúbio e falso, pois querendo ou não, o bovino traído, a partir de então, sempre vislumbrará seu companheiro com "outros olhos", ou seja sempre haverá, uma dúvida, um senão, ou seja "uma big pulga atrás da orelha",a qualquer saída, a qualquer demora, a qualquer impedimento, e aí convenhamos fica difícil de viver,(leia-se conviver), pois nunca mais haverá a proclamada paz, serenidade e confiança no próprio rebanho, não é mesmo ???
Então "chifradas e chifrudos", já que o "chifre" às vezes é inevitável, o adequado caminho, é sofrer o que precisa ser sofrido, na medida certa, nem mais nem menos, buscar os velhos amigos para um reconfortante consolo, reencontrar a auto-estima arranhada, e só então após esse "humano/bovino" sofrimento, partir para novos rebanhos, para se correr enfim, os mesmos riscos ...
Riscos e "chifres" irremediavelmente fazem parte da vida bovina, mas o que interessa mesmo, é viver e viver bem, compartilhando uma vida com quem realmente valha muito a pena ! E, uma vez pré-estabelecida tais condições, não vejo não, muito lugar para bovinos traidores de plantão..... CORAL DE MUUUUS PRÁ ELES !!!!

DM

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker