terça-feira, 15 de maio de 2007

DIA DAS MÃES, O PAPA E OUTRAS COISAS DA VIDA BOVINA



Pois é bovinos e bovinas de plantão , queria ter escrito algo sobre as “mamães-vacas”, já que subscritoras desse “Blog”, são vacas-mães, em sua verdadeira acepção, mas realmente não deu . Atropelos e correrias de vaca!

Mas, só para não deixar “in albis” (expressão jurídica que significa passar em branco, geralmente quando o advogado perde o prazo de algum ato processual), sim este “Blog” também tem pretensões culturais, aí vai !

Acho o Dia das “Vacas-Mães”, a exemplo de outras tantas datas comemorativas, uma data comercial, pois quem se aproveita mesmo disso tudo, são os comerciantes, especialmente os floristas ... Mas, até aí tudo bem! Confesso que me rendo aos apelos consumistas, e literalmente aguardo presentes nesta data (seja do “bovino-pai” do qual a gente é às vezes mãe também - e do filho, é lógico), assim como presenteio, minha adorável “vaca-mãe” que um dia me ensinou a ser uma “vaquérrima” - sempre que isso se fizesse necessário! “So, thanks a lot, Mother-Cow”!

Mas se tornar uma vaca-mãe, é algo que deveria ser festejado todos os dias, e não em um único e especial dia previamente elegido, só para satisfazer o ego e o bolso dos comerciantes de plantão.

Isto, porque depois que nos tornamos mães, nossa vida muda radicalmente! Eu diria que muda para melhor, porque a partir de então passamos a experimentar um novo tipo de amor. Sim, um amor que é absoluto,incondicional, altruísta e ininterrupto, e que não espera nada em troca. Uma espécie de sentimento afetivo, que vai permanecer indelével muito provavelmente até o fim de nossas vidas.

Quando minha vaca~mãe dizia para mim, lá na adolescência, que o amor que temos por um filho, é inigualável, e que, em nada se compara ao amor que desenvolvemos ao longo da vida por um boi-homem, seja ele um marido, namorado,caso,rolo etc, Eu, “super-vaca” de sempre questionadora de tudo e de todos, tinha lá minhas dúvidas...

Mas depois que me tornei “vaca~mãe” confesso: Dou a mão à palmatória, e proclamo com certeza que esse tipo de amor é diferenciado de absolutamente tudo!

Mas independentemente do indescritível amor-materno, ao nos tornarmos mães, assumimos sem “querer-querendo”, infinitas responsabilidades aliadas as responsabilidades que já tínhamos antes de ser mãe!

Assim se tornar vaca- mãe, prescinde, antes de tudo, de uma certa consciência!

Estou aqui me referindo a "vacas~conscientes”, ou seja aquelas que não geram filhos apenas como mera decorrência das leis da natureza, ou simplesmente para se realizarem como “fêmeas” da espécie, com o advento da maternidade.

A maternidade nos realiza sim, por “n” razões que não vou discorrer agora, mas deveria haver algo mais... Deveria sim, haver uma consciência interior, não só instintiva, antes de qualquer vaca vir a ser mãe!

Consciência plena, de que ao nos tornarmos mães, forçosamente teremos de abdicar de infinitas coisas de nossa vida pessoal e de nosso tempo! Pois a dedicação que se deva dispensar um novo novilho(a) passará a se dar de forma integral. Assim entendido: Consciência de que você, após a “magia” e o “encanto” da maternidade, passará a ser praticamente a única responsável pelo seu filhote até que este se torne um dia absolutamente independente de você, e que até o advento desta data, convenhamos, há muito chão !

Os bovinos-pais que me perdoem, pois mesmo em tempos modernos, sem desprezar os esforços deles para nos ajudar, seja de forma material, ou nas tarefas domésticas corriqueiras, vocês hão de convir: A maior parte do grande desafio que envolve formar uma nova pessoa, é prerrogativa quase que, exclusiva das “Vacas~Mães” !

E, é por isso que me refiro à citada “consciência das implicações da maternidade”, porque trazer a este nosso mundo tão complexo, um novo ser humano, que depende de praticamente tudo de você, é algo que prescinde da mais absoluta seriedade e responsabilidade !

Por essas e por outras “vacas conscientes” ... Só se tornem mães, se isto for possível é claro, preferencialmente após os 27, 30 anos, onde a “maturidade” já está quase adquirida naturalmente e sem grandes esforços...

Ser mãe depois dos 30, e não que antes não o seja, é puro deleite, acompanhado de uma “penca” de obrigações, só que aí, a gente não lamenta tanto, tudo o que “parece” estar perdendo quando tem que se dedicar aos filhotes...

Rapidinha sobre a vinda do Papa: Como já disse antes, sou agnóstica, e religião para mim, não é ideologia, mas fé ! Quem tem fé,talvez seja mais afortunado mesmo, pois a fé em algo, talvez nos ajude a suportar com menor sofreguidão as mazelas da vida ... Dizem que a fé move montanhas, adoraria acreditar, pois se as tais montanhas fossem movidas, acredito que meu particular otimismo e minha fé em um mundo melhor deveriam fazer a diferença ... Mas parece que não faz ...

Coincidência ou não, concomitante com a vinda do papa e do passado dia das mães, seguiu-se acirrada discussão sobre o tema aborto ! E assim como vaca e mãe que sou, me declaro absolutamente favorável ao mesmo, quando ainda não se tenha a real e citada aqui,“consciência” do que vem atrás de um filho ! Aos católicos de plantão, e a sempre torcida contra, advirto: Só quem tem o poder de gerar um filho, é quem pode melhor avaliar, se este filho é benvindo ou não, e isso queridos, independente de religião, é prerrogativa única e exclusiva das fêmeas, nós, Vacas é claro !


9 Comentários:

Blogger Sir DoRego disse...

fazia tempo que não lia o blog...tinha colocado no favoritos, mas aparecia sempre uma página antiga e eu nem me toquei disso...achei que voces estavam de férias...bom...ainda bem que não estavam...é sempre interessante ler e reler voces...nao que eu nao entenda na primeira...mas reler é bom...mesmo tendo passado o dia das mães nao poderia deixar de parabenizar voces...feliz dia das mães pra voces.

15 de maio de 2007 18:11  
Blogger DM disse...

Obrigada Sir Dorego, Aliáis adorei o Sir ! Sei lá eu porque me remete a "gentleman" ...
Seu blog também é bastante interessante, cultural e por isso enriquecedor ...

Beijos, adorei os comentário, volte e leia-nos sempre, temos muito ainda a dizer ... A gente te visitará também ...

See you

15 de maio de 2007 18:40  
Blogger Van disse...

Vaquinha DM, querida........
Acho que quem mais lucra com o dia Comercial das mães ultimamente são as operadoras de celulares.
Os floristas devem estar falisdo, tadinhos!!!!!
E como vocês estão, queridas????
Beijuca procês!

15 de maio de 2007 18:57  
Blogger Van disse...

**** FALIDOS!

15 de maio de 2007 18:58  
Blogger DM disse...

Pois é Van!

Pelo que vi o ouvi, os celulares foram o grande "boom" do Dia das Vacas-Mães! Mas ainda prefiro flores... Sou vaca romântica, e falar via blog, é muito mais gostoso que falar pelo celular!

Beijos

15 de maio de 2007 19:24  
Blogger AP disse...

Amiga... O Dia das Mães realmente foi inventado por comerciantes. americanos, se não me engano... Mas pegou, não é? Eu tive o João há seis anos, uma semana antes do meu primeiro Dia das Mães... Ali me toquei de que ele era, e é, o melhor presente que já ganhei na vida. Olhava aquele "pacotinho" embrulhadinho no cobertor e me sentia premiada... Eu gosto de ganhar presentes, claro, mas não os espero, porque o melhor presente eu já recebi! Mas antes de reclamar das flores e dos celulares, devemos nos lembrar de que, há relativamente pouco tempo, as mães ganhavam panelas ou fogões... Então, viva quem dá presentes de uso pessoal para as suas mães!!!

Sobre o Papa... Nem sou católica... Mas achei que ele ficou mais simpático, mais à vontade. Os ares brasileiros lhe fizeram bem. Quanto à discussão sobre aborto, não foi coincidência, não... É que quando ele vinha para cá, no avião, comentou sobre a polêmica da legalização do aborto no México com os repórteres a bordo. Pronto! quando chegou aqui, a discussão já estava sendo posta na mesa de todo o mundo...

E sobre aborto... eu, particularmente, sou contra. dificilmente faria. Mas defendo com unhas e dentes a liberdade de cada mulher decidir se quer e pode ser mãe. Então, sou contra o aborto e a favor da legalização do aborto.

Bom este comentário virou um livro! Beijo!

15 de maio de 2007 20:10  
Blogger DM disse...

Queridíssima AP!

Amei seus comentários, aliás, escreve, nossos leitores como eu, estão com saudades de você ....

O João como o Fê, sem dúvida são nossos grandes presentes da vida !
É muito bom ser vaca e mãe deles!
Saudades da vaca Sy, e de nossas reuniões vaquérrimas ....

Beijos

15 de maio de 2007 20:26  
Blogger Poliane disse...

Cara, eu tenho q pedir para o meu Touro (marido).. hehehe... vir aqui ler vcs!! Vcs duas são muito divertidas!! Feliz dia das vacas para vcs tb!!

bjssss

16 de maio de 2007 01:54  
Blogger Beth disse...

Ahhhhh o que seriam de nós novilhas se não fossem essas vacas-mães maravilhosas?
Seria bom que só bastassem vários Muuuuuuuuu Te Amo diários. Esse bendito comercio que faz iceberg de alguns corações. Mas sempre há vários Muuuuuuu Ta Amo para nossas vaquinhas queridas.

Lindo texto. Em tudo.

PS: DM e AP tarefa designada às duas no meu blog. As vacas vão ter que dar 5 dicas sobre o que não pode deixar de ser feito em seus pastos (tipo dica para locais e turistas). Se quiserem é claro. Tarefa dificil essa hein? Eu fiquei numa sinuca daquelas

17 de maio de 2007 10:39  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker