sábado, 28 de julho de 2007

Saber amar, minha versão: Cuide bem do seu amor

Ontem eu conversei com a Fabi sobre o amor e porque se sofre tanto por amor. Nós temos visões parecidas em um monte de assuntos (blogs, homens, vacas), mas nesse, assumimos pontos de vista diferentes. Ela pensou sobre isso, resolveu escrever e me intimou a fazer o mesmo. A minha versão da história está aí embaixo. Leia a da Fabi também.

São certezas que tenho:

As pessoas têm o maior medo de demonstrar seus sentimentos porque estão baixando sua guarda, abrindo o peito, vulneráveis.

O "eu te amo" que sai da boca de uma pessoa deixa sua alma nua e agiganta o outro, ainda que na sua imaginaçã. Ao ouvir que é amado, o outro ganha superpoderes, porque pode decidir se vai retribuir aquele amor, se vai se deixar ser amado ou não, ou se vai simplesmente ignorar aquele amor.

Por que? Por que sim. Por que é assim que as coisas são. No meu pasto e no seu também.

Eu tenho medo de amar. Toda vez que amo me entrego de tal forma, corpo e alma... Me sinto menos poderosa, me sinto menos inteligente, me sinto menos capaz. Vaca atolada em sentimentos...

O medo de amar é na verdade o medo de não ser amado. A gente não sabe amar por amar. Quem sabe vira santo e vai pro céu... Queremos recíproca. E verdadeira, não da boca para fora. E ela às vezes não vem. E é isso que dói. Pra caramba.

O pior de tudo é quando o objeto desse amor, além de não lhe corresponder, ainda usa esse poder todo para magoar. Culpa do medo, da falta de maturidade ou da ignorância... Sei lá. Problema dele. Prefiro não amar. Como se eu pudesse escolher, não é? Mas às vezes... Sim, por vezes acontece aquela conjunção astral, aquele conto de fadas que vira realidade... Amar e ser amado, que delícia! Se você ama, não faça como eu. Se é amado, cuide bem do seu amor.

25 Comentários:

Blogger Claudio disse...

Gostei da dobradinha..hehehe.

O tema é quente, polêmico e ambas o abordaram muito bem. Eu tendo a concordar mais com a Fabí nesse caso. Eu prefiro a tentativa, ainda que posteriormente venha a ser frustrada, do que a sensação que poderia ter sido e não foi porque eu não tinha certeza se seria e não fiz nada.

Só perde penalti quem chuta. Mas quem não chuta não faz gol e nem corre para o abraço da torcida.

Bjs em ambas. E vamos agitar o RABO !!!

(esse comentário pode ser lido em ambos os blogs participantes)

28 de julho de 2007 11:18  
Blogger Beth disse...

Nesses dias...
Resolvi brincar, para pensar, mas acabei pensando e cheguei a conclusão que não tenho medo de amar, de não ser amada. Me assusta ser muito amada. Tenho medo do amor sufocante, da obrigatoriedade disso e daquilo - acaba tudo se transformando numa grande doença. Já tive muitos amores sufocantes e não os quero mais. Fico sempre na defensiva quando o telefone toca demais, quando há interrogações ao invés de exclamações, quando o agarramento é demasiado, ou quando franzem as sobrancelhas quando digo que vou fazer isso ou aquilo.
Gosto dos amores que não pedem, apenas se doam. Também já os experimentei e é maravilhoso sentir - cada vitória ou cada derrota tua vem acompanhada de um beijo ou um bouquet de flores. Apenas doação. É muito bom.

Tchauzinho e bom findi para vocês.

28 de julho de 2007 11:22  
Blogger DM disse...

Vacas e bois, infelizmente no jogo do amor bovino, é preciso arriscar, pois se a gente não se expor ainda que um pouquinho, não vai rolar .... Nosso medos ligados a questão, são compreensíveis na medida que já sofreu por amor ...
Não fechem suas porta para novos amores, óbvio que tem de avaliar, e lembre-se o risco de sofrer sempre existirá, mas também não se sofre do mesmo jeito ...
Discordo da BETH , para se viver um grande amor, tem de haver SEMPRE DOAÇÃO RECÍPROCA, senão pesa demais para um lado só, e o bovino que so doa, se sente incomodado e vaca vai pro brejo mesmo ...

28 de julho de 2007 12:18  
Blogger Fabi disse...

Gente sem medo vai, amar é bom. A gente se fode a maior parte do tempo, mas tbm se diverte não é mesmo?

Beijão

28 de julho de 2007 12:28  
Blogger AP disse...

Gentem, me esqueci de dizer, tenho medo, mas amo. Amar não é uma é coisa que se consiga evitar.

Beth ,quando vira doença não é amor, é obsessão...

A DM me entende, sabe tudo o que passei nessa vida, não foi bolinho... Medo é questão de sobrevivência.

Beijos, beijos, beijos para todos.

28 de julho de 2007 13:05  
Blogger Lih disse...

AP, talvez amor não é algo que se consiga evitar, mas eu, por exemplo, tento.
É muito complicado, faz parte da insegurança de cada um.

Ah, e estou mto triste por não poder agitar o RABO com vcs!
:~~~

bjãooo

28 de julho de 2007 13:20  
Blogger Wolverine Logan disse...

É amar bom, as vezes doe, mas as vezes nos faz sentir capazes de voar, sempre nos faz desejar ser pessoas melhores, nos faz sonhar, desejar, quem sabe o que é ficar olhando de longe a pessoa amada enquanto ela escreve, cuida do jardim ou arruma os livros na estante, coisas tão normais mas que parecem ter tanta beleza e poesia só porque é ela, lembrar como foi o caminho que os levou até ali, as incertezas do inicio com o coração em sobressaltos, quando o telefone tocava e era ela querendo te ver e você disfarçando a empolgação diz "é vamos combinar sim" mas a vontade é de correr se jogar no pescoço dela, e quando se dorme com a pessoa amada recostada no seu peito falando coisas coisas que lhe passaram no dia e coisas pro dia seguinte, não dá pra não se perguntar quanta sorte se tem, o prazer de acordar e aguarda-la despertar observando aquela serenidade, hoje com certeza minha resposta é de que não abriria mão de momentos assim por nada, pelo medo de sofrer muito menos, lamber as feridas até estar pronto novamente e ir a campo

28 de julho de 2007 13:23  
Blogger Wolverine Logan disse...

AP você tem razão amar é que não se pode evitar, é um processo que até se pode interromper, interditar mas não se pode banir de nossas vida, ele vai se apresentar em algum momento

28 de julho de 2007 13:30  
Blogger AP disse...

Ah, Lih, você é das minhas...
Que pena que não pode... Mas marcaremos outros... muitos e em outros lugares.

Wol, lindo o que você disse. É amar pode ser tudo isso aí, mas nem sempre. Amar também é ficar perdido, meio como cachorro que caiu do caminhão de mudança... Um saco, isso sim, amor é um saco! rs
E, concordo, amor dá pra congelar... Dói um pouco, mas dá.

28 de julho de 2007 13:46  
Blogger Wolverine Logan disse...

AP
Te devo desculpas, mas eu achei que cê tava me gozando lá no blog da angelina, mas era elogio que bola fora a minha, desculpa novamente e obrigado pelo elogio

28 de julho de 2007 13:53  
Blogger AP disse...

Wolverine logan, você ainda é o meu mutante preferido, relaxa!

28 de julho de 2007 14:06  
Blogger Beth disse...

Então...falei da obsessão, da carência obsessiva de amor, de amar. Sufoca. Muitos amores são obsesssivos e muitos gostam disso e vivem com isso na boa, sem stress, sem neuras.

DM = doação sempre doação, de preferencia bilateral para ser mais gostoso. Mas há quem ame unilateralmente e viva com isso na boa, sem stress, sem neuras.

:)

Sabe qual a melhor coisa de acampar no Pico das Agulhas Negras em pleno inverno? - Uma garrafa de conhaque.

28 de julho de 2007 14:49  
Blogger Carmen Electra disse...

Amei o seu texto, eu concordo com isso demais. É uma luta interna muito grande decidir se deve escancarar de vez ou esconder o sentimento né? A gente se sente tão idiota...

beijos!

28 de julho de 2007 17:54  
Blogger rafael disse...

Adorei esse bate bola. Realmente duas visões diferentes, mas que não se excluem. Afinal, ambos os textos são reflexos de experiências com o amor....

Eu também quero dar meu chute nessa bola. E indico um texto meu intitulado "o amor é um pássaro selvagem" que está no arquivo de fevereiro 2007. Desculpem não deixar o link, mas ele não aparece por inteiro aqui.

bjus

28 de julho de 2007 18:15  
Blogger Wolverine Logan disse...

AP
amei o bate papo no msn, espero ter ajudado, gostei te te conhecer um pouco melhor, e se precisar de um interlocutor do masculino é só chamar que eu venho correndo, não deixo os amigos não mão!

28 de julho de 2007 21:46  
Anonymous Angelina disse...

aaaaaaaaaaah hoje sou eu que digo. esse mutante não existe!!! wolve, sem ofensa a sua masculinidade, longe de mim, mas as vezes penso até que é uma mulher disfarçada!!! kkkkkk

adorei esse debate, li as duas vertentes; como eu disse lá na Fabi, pra mim a gente tem sim que arriscar e escancarar, mas o problema é na hora do vamos ver, eu mesma não tenho coragem de me desnudar assim, antes de me sentir bem segura... é inevitável..

28 de julho de 2007 22:35  
Blogger Eu e Ela disse...

voltarei amanhã para comentar estou cansada, muito cansada.
Passei a tarde vendo aqueles atletas de colant, kkkkkkkkkkk.
Espero que não tenha terminado o debate.Tenho muito a comentar....
AP gostou da vaquinha? Lembrei logo de vc e meu filho logo disse "ja sei.. somos todas umas vacas" kkkkkkkk
Bjs

29 de julho de 2007 00:39  
Anonymous Adão Braga disse...

Insegurança. Medo. Experiências e sensações dolorosas. Amo sem exigir ser amado. Sempre digo, para alguns: Você não merece, mas eu te amo.

O amor é assim. O alvo do amor, nunca irá amar com a mesma intensidade do outro e sabem porque, porque não tem como medir.

Por fim, me enfiei no tró-ló-ló e opinei sobre.

29 de julho de 2007 04:00  
Anonymous Adão Braga disse...

- Aonde opinei?
- Sim,é mesmo!

http://adaobraga.wordpress.com/2007/07/29/experiencias-e-sensacoes/

29 de julho de 2007 04:05  
Blogger Wolverine Logan disse...

Angelina
Qualé cê tá me estranhando? Quer dizer que se eu estivesse agindo feito um ogro, com certeza era um homem escrevendo? Mas se eu tô escrevendo o que penso, e gosto de achar que tem alguma lógica nisso, e estou tentando ser gentil com a AP, aí só pode ser uma mulher! Eu já vi que vocês não tem nenhuma fé nos homens, alguém pode por favor me defender!?! Fabi nem você minha linda cadê aquele história de "assim eu vou me apaixonar, Wol", e aí AP você então pode ser minha escudeira nessa ou será que vou ter de chamar a cavalaria BETHHHHHHH HELP ME!!!

29 de julho de 2007 04:53  
Blogger Beth disse...

BETH HELP ME? HAHAHAHAHHAHAHAHHAHAA

Já falei para nao confiarem em mutantes. rs rs rs .....

Analisando assim de maneira fria, você é um homem com Alma Feminina. Afinal, é um mutante neh?

bjs

29 de julho de 2007 11:43  
Blogger Juℓi Ribeiro disse...

Meninas e meninos participantes:

Este é um tema polêmico e atual.
Penso que todos nós temos medo, quando o assunto é de amar e ser amado.
Isto vale para homens e mulheres.
Bois tem tendência a exercer o domínio no pasto,
fazendo com que as Vacas se sintam pressionadas, se cederem além das suas espectativas.
É a eterna guerra dos sexos.
Mas é bom lembrar que o pasto é coletivo e que ambos(Bois e Vacas)
apesar de suas diferenças, adoram comer capim (Risos), fazer sexo e namorar.
A liberdade é o espaço que todos cobram, mas se esquecem de que a felicidade precisa ser construída todos os dias, que ninguém é feliz sendo sombra de ninguém
e que é preciso se colocar no lugar da pessoa amada e ceder algumas vezes.
Isso não siguinifica se despersonalizar e sim conviver
trabalhando para a sobrevivência da relação afetiva.
Carinho e respeito são essenciais.
Sou uma romântica incurável(NÃO TENHAM PRECONCEITOS COM OS ROMÂNTICOS), já sofri muito, mas sofrimento deve gerar crescimento.
O amor é básico. Dizem que sexo e amor são duas coisas distintas.
Mas se existir amor, tudo é mais gostoso e o mundo é mais bonito.
Queridas amigas Vaquinhas: Acreditem, os homens também sonham... E queridos amigos Boizinhos: Nós mulheres, já conquistamos muitos espaços destinados a vocês, mas adoramos que vocês nos conquistem.
O medo de amar é só uma barreira, mas as barreiras existem para serem vencidas, concordam? E se vocês se entregarem ao amor e forem enganados? SIGAM EM FRENTE E SAIBAM QUE QUEM PERDEU ESSA PARADA, FOI QUEM TE PASSOU PARA TRÁS. Porque amor, sentimento e respeito são jóias raras e especiais.
Perdoem meus comentários longos.
Beijos para todos os amigos
que adoram visitar este espaço
maravilhoso. MOOOOOM...( Risos )
E uma beijoca especial para minhas queridas donas deste pasto.

29 de julho de 2007 13:37  
Blogger AP disse...

Caramba, fiquei de pregiça e perdi a conversa...

Beth, não uso nem gola rolê pra não me sentir sufocada! rs
Tem gente que consegue viver só amando numa boa. Eu, não. Sou egoísta. Quero reciprocidade!
Conhaque? Muito forte pra essa vaca aqui... rs

Angelina, o cara é só mutante... Ah, é preisa ter coragem pra amar e se declarar.

Sara, amei a vaquinha, tá lá, linda de morrer! E que jogadores. Inclusive os americanos! rs

Adão, aida não fui lá. Mas vou. Agora! Beijos e obrigada!

Wol, serei sua escudeira: Angelina, o Wol é um mutante que sabe dizer exatamente o que a gente quer ler. Vai lá e vê o post de hoje do Príncipe Encantado.

Juli, seus comentários são tão bacanas e bem-vidos que quase não sobra o que falar depois... Venha sempre, querida! Beijos!

29 de julho de 2007 22:18  
Anonymous 1ª Lady Newton disse...

Gatinhas,

Amo, amo, amo!
Sempre me ferro, as vezes magoo, mas amo!

Nunca deixo para trás uma oportunidade de amar. Não tenho medo não, sou escraxada (seja lá como se escreveisso) e ja passei por cada uma tb, que nem sei como não me traumatizei!

Ainda não li a visão da fabi, mas deixo um alô pra AP. Cuidado é sempre bom, mas é tão bom saber que não foi pq não tinha como ter sido...A duvida é angustiante e tortura a gent pro resto da vida, babe!

Keep walking!

30 de julho de 2007 10:17  
Anonymous Mel disse...

Pois é o amor enlouquece a gente. Mas fazer o que? Vivemos sem ele?! Não, eu não vivo. Já pensei muitas vezes ter encontrado essa reciprocidade de amor, mas ainda não perdi as esperanças de um dia encontrar. Com medo e sem medo é sempre assim. beijos!!

30 de julho de 2007 14:47  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker