sexta-feira, 13 de julho de 2007

Vacas sem limites...

Existe um certo tipo de vaca que me irrita. Profundamente. As vacas atiradas. Não, pode parar. Nem adianta me dizer que a iniciativa é o gás que faz a espécie bovina/humana evoluir. Eu concordo! Mas não estou falando de iniciativas, não. Mas de falta de vergonha, mesmo. Tem umas vaquinhas por aí que andam cruzando a linha da descência. Ah, pára! Não vai me chamar de careta, não. Estou falando de ética, de vergonha na cara! Meu Deus... não existem essas palavras no dicionário de algumas mulheres. Elas se assemelham com alguns políticos brasileiros! Vacas, os homens são tão mais unidos do que nós... Por que não seguirmos seus exemplos? Porque não existe a versão feminina da frase "Mulher de amigo meu pra mim é homem"? Rodrigo, é o que você chamaria de falta de honra feminina, né?

Falo daquelas bezerras que insistem em ter o que não é delas. E daquelas que, mesmo diante da recusa de um alvo (leia-se homem), continuam atacando, atacando, atacando até conseguir o objetivo desejado. Sim, porque há homens que têm uma idéia ridícula de que se não pegarem determinada vaca insistente e que atenda aos mínimos padrões de qualidade, serão chamados de gays ou coisa pior... (Meninos, o post é para as vacas, mas abro parênteses para afirmar, com convicção, que aquilo não cai se vocês não agarrarem uma oferecida!)

Precisamos entender dois pontos, meninas. Primeiro: podemos sim, tomar iniciativa. É saudável, garante a perpetuação da espécie. Mas há limites. E um deles é a indisponiblidade do homem em questão. Se o cara é casado, por exemplo... Ou mantém qualquer tipo de relacionamento... Vamos lá, vaca, cabeça não é só o lugar onde ficam seus chifres, não. Serve pra pensar. Se você dá em cima do cara comprometido e ele cede à, digamos, tentação e eventualmente fica com você... Quem garante que ele não fará o mesmo com você quando for seu??? Segundo: se seu alvo não tem compromisso com ninguém mas não quis nada com você, se toca. Parte pra outro. Valorize-se. Não, ele não é gay, não. Só não quis você. Pode acontecer. Aceite, engula e siga em frente.

Quando eu ainda era uma bezerrinha, minha mãe e meu pai me botaram na cabeça que eu precisava aprender a me valorizar para ser valorizada. O lado bom da história? Acreditei neles e fiz disso uma profissão de fé. E das poucas vezes que não me dei valor, me arrependi... O lado péssimo da história? Acreditei neles... Agora sou quase incapaz de tomar iniciativas... Mesmo quando eu quero. Estou em um pedestal e dele raramente desço quando estou interessada em alguém.

Radicalismos à parte... Preciso explicar que toda essa minha indignação não é por causa de nada que tenha acontecido comigo, não. Foi uma história que me contaram ontem de uma vacona que é especialista em dar em cima de homens casados. Que vaca, hein? Já dei minha opinião sobre isso, né? Homens comprometidos, e por isso, provedores (econômica, sexual e emocionalmente falando!) devem exalar mais ferormônios do que aqueles que não têm laços afetivos...

5 Comentários:

Blogger DM disse...

De fato AP, tem muita vaca desclassificada por aí, abomino as tais "atiradas", tanto quanto você, mas "essazinhas", infelizmente estão aí a pastar impunemente sem a menor ética! E aí vislumbro mea-culpa bovina- os bois também andam de lascar, e as tais vacas atiradas dão mole e eles se atiram, o negócio é sempre mudar de boi ! Porque a modalidade estupro, só reconheco e admito a bovina feminina....O contrário é sem vergonhice mesmo!!! Eles que se aguentem também !!!

13 de julho de 2007 15:32  
Blogger AP disse...

Ahahaha! Pode ser, pode ser... Mas amiguinha, os homens foram educados para não dizer não... Cabe às mães de bezerros, como nós, ensinar-lhes que não é bem assim...

Eu ouvi de um amigo há duas semanas; "Chamei a Fulana lá em casa para jantar, vou ficar (na verdade ele disse comer, eu que quis ser fina...) porque ela está atrás de mim há tempos e eu não vou passar recibo de gay". E esse meu amigo é um publicitário, pai de duas meninas, moderno e esclarecido! Esse medo de negar já está arraigado na cabeça da maioria dos homens! É sem-vergonhice de uns e medo de outros.

O fato principal é: mulheres precisam aprender a se valorizar!

Beijos. Escreve!

13 de julho de 2007 16:29  
Blogger Eu e Ela disse...

Tenho uma opinião diferente do assunto, ja conheci muita vaca safada, mas safada até não poder mais, que mesmo essas se renderam a um não decidido, conheço homens que dizem não, o problema é que a maioria dos homens sempre deixam uma pontinha de esperança, e homem não é tão unido assim não hein? é que as vaquinhas sempre abafam pra não dar briga e não sobrar pra elas.
Um exemplo: se o boi comprometido der papo pra vaca amiga com quem a vaca vai brigar? e se a vaca comprometida der papo para o boi amigo quem vai dançar? as duas respostas sempre sobra pra vaca.

Mas acho que quando o casal vai bem essas coisas não afetam, eu gosto de boi assediado, boi que ninguém olha tem algum problema.
E se ele não souber lidar com tal assedio não serve pra mim.
Bjs.

13 de julho de 2007 20:07  
Blogger Fabi disse...

Complicado, mas acho que se tem vaca atirada é pq tem boi q dá espaço.
Os dois se merecem.
A parte de se valorizar, apesar de dificil, acho certa.

13 de julho de 2007 20:45  
Blogger AP disse...

Sim, meninas, sim! eles têm culpa também. E muita!!! rs

13 de julho de 2007 21:00  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker