sábado, 4 de agosto de 2007

CUECA BOVINA NA CADEIRA

Minha mãe, uma respeitável Sra. Bovina de pouco mais de sessenta anos, depois de vivenciar três casamentos, sensibilizada sobre as minhas constantes queixas de vaca ‘normal’, atinentes ao exaustivo e repetitivo - por vezes indigesto trabalho doméstico dispendido por conta do “gerenciamento” de um curral institucional - dias desses, me veio com essa: - É minha adorável bezerra, viver com um boi, e gerenciar uma casa de fato dá muito trabalho mesmo. Bois, por sua natureza, costumam ser “espaçosos”, gostam de ser paparicados e invariavelmente deixam sempre rastros de bagunça e sujeira por onde quer que se encontrem. Acredito que muitas relações bovinas se desfaçam ao longo do tempo, pelo desgaste desencadeado também por conta dessas questões domésticas mal administradas, corriqueiras e comuns a todos os “currais”. Por isso acredito que o melhor relacionamento a ser vivido entre um homem e uma mulher, talvez seja mesmo, aquele vulgarmente conhecido por “CUECA NA CADEIRA”.

- “Cueca na cadeira” ? – Indaguei meio perplexa, pelo tom de modernidade da velha senhora. Mas o que vem a ser isso?

A coisa é simples. O boi da “hora” com quem a vaca está se relacionando, vem, faz o “serviço na vaca”, enquanto a cueca fica dependurada em uma cadeira casual. Assim, uma vez consumado o romance, o boi vai embora, e a cueca “suja”, até então dependurada na cadeira, vai junto com ele. Assim você não precisa se preocupar com mais nada, a não ser é claro, em arrumar a sua cama, e gerenciar a sua casa, do seu jeito, e na hora que quiser, e ela por certo permanecerá assim, “arrumadinha” e cheirosa, até o dia que você consinta que o boi novamente volte.

- Ah! Cueca na cadeira seria então, um relacionamento onde cada um, mora na sua própria casa, é isso ? E ela, então, assentiu com a cabeça afirmativamente, deduzindo ainda ser esta a “fórmula mágica” do relacionamento ideal, onde se divide só o romance, mas não a “roupa suja” e o gerenciamento de uma casa, por via de conseqüência!

Refletindo mais seriamente sobre o assunto, por um instante fiquei inclinada a concordar com a velha senhora. Pensei, não haveriam mais toalhas úmidas sobre a cama, cuecas e meias masculinas pelo banheiro, ou em cima da máquina de lavar, rastros de “barba” e pêlos bovinos sobre a pia do banheiro, tampa da privada levantada, dentre outras coisas... Enfim aqueles vestígios não tão românticos assim, naturais de qualquer relacionamento bovino...

Mas pensando um pouco melhor sobre o tema ... E se depois da “consumação” do romance bovino, eu desejasse um pouco mais ... Um ombro ou um abraço gostoso de boi, em meio a uma noite mais fria, e/ou após um pesadelo. Aquela “pseudo” segurança que só um boi em casa parece por vezes transmitir. Os longos papos nas madrugadas bovinas, quando todo mundo “parece” perder o sono de forma sincronizada ... Aquela adorável cumplicidade “doméstica”, onde se misturam cheiros, calcinhas, meias e, é claro, cuecas também. Para não falar, na inquietante sensação de que se está construindo algo mais, comumente chamado de lar, um verdadeiro curral com novos bezerros, por certo barulhentos, e bagunceiros também ...

Certamente, em ambas as opções de coexistência da vida bovina, há vantagens e desvantagens. Mas por me considerar uma vaca com “verniz” de modernidade, acho que no fundo no fundo, sou vaca “tradicional” mesmo. Prefiro cuecas cheirosas no armário ao invés de na cadeira e ponto! Mas que tudo isso dá muito trabalho, ah isso dá mesmo! “Questão de jogo de cintura bovina”! Um boi precisa mesmo ser muito boi, para dividir a vida com uma vaca, e vice-versa.

38 Comentários:

Anonymous Adão Braga disse...

Ainda vai chegar o dia, em que todas as vacas modernas irão ler em algum lugar como era a vida da bisa, ou quem sabe da tatara, e pensar: Pôxa, ela só ficava em casa, tomava conta de tudo, gerava filhos, criava-os, educava-os e esperava o boi chegar, lá na boca da noite... (Hoje já é diferente), sentirão saudades... e pensarão: de que adianta ser independente, ter uma carreira, se fisiologica e biologicamente fui programada de forma diferente, e os hormônios e útero e ovários começarem a reclamar a total falta de utilidade, casados de só ovularem, e nunca serem fecundados, e o tempo passando... e a tal consumação do propósito não realizado, ai sobe a cabeça, e baterá aquele romantismo e então dirão: elas estavam certas! Elas foram felizes.

Não se preocuparam com o tal amor, mas foram de alguma forma amada, desejada, respeitada. Não se preocupavam em ser feliz, mas foram.

Vaca!!! Volte para casa, domestique um boi para você, e faça unicamente a natureza exige: viva, e deixe a vida vir atraves de você.

Chega de inquietude de vaca moderna!

4 de agosto de 2007 23:34  
Anonymous Beth disse...

Adão
Vc surtou?
Jamais desejaria a vida da minha bisa, ou de minha tataravó, nem mesmo a da minha avó.

Vacas modernas são capazes de gerenciar uma casa, cuidar dos filhos, do marido, trabalhar, estudar, terem amigos, viajar...e principalmente pensar. E nem por isso deixará de ser vaca mulher, vaca mãe, vaca profissional, vaca amiga.

E além do mais a vida não anda tão linda para vc dar uma de Amélia 24 horas por dia. O boi morre, fica desempregado, pede a separação e você vai ter que se virar, pois tem conta para pagar, filhos para criar, uma vida para continuar.

Tem que saber dosar.

5 de agosto de 2007 00:00  
Blogger DM disse...

Vocês são hilários! Mas tô com a Beth, nos dias de hoje as vacas fazem tudo isso ao mesmo tempo... Geram filhos, gerenciam o curral e o boi, trabalham fora, e correm muito mais riscos do que as vacas de antigamente ...Aquela pacatona vida das vacas vovós, não existe mais, a exceção de mamães, que sempre foi, eu diria assim ... Uma vaca de vanguarda de seu tempo !!!

5 de agosto de 2007 01:16  
Anonymous Beth disse...

Adão...se o problema são os dilemas amorosos das vacas. Pense na quantidade de separações/divorcios consensuais que existem e que crescem cada vez mais. Os questionamentos do coração, estão em moda, tanto para bois quanto para vacas. Descobriu-se que não é vergonha dizer: eu errei, você não é o boi/vaca da minha vida. E quantas vovós, bisavós e tataravós adorariam ter experimentado essa oportunidade, haja vista, em sua grande maioria terem vivido em casamentos arranjados pelas famílias.

E viva a liberdade de imprensa, viva os bloggers, os dilemas amorosos, viva a gravidez planejada, a camisinha, o implante para não menstruar, viva o divórcio... e viva a busca da felicidade, mesmo que essa busca seja tortuosa.

DM = estava relendo o post e sabe o que pensei? O que as vacas-mães diriam quando eles começam a esquecer cueca, meia, camisa...

bjinhos

5 de agosto de 2007 01:44  
Blogger Wolverine Logan disse...

Me lembrei de um casal de amigos de Porto alegre que churrasco na casa deles tinha uma regra "todo mundo tem que fazer xixi sentadinho no vaso", não tinha nem argumentação de eu tomo cuidado ou eu lembro sempre de levantar a tampa, sentadinho e ponto.
Nessa de toalha molhada na cama, roupa suja espalhada e levantar a tampa da privada eu passo com louvor, mas a DM mencionou um ponto fraco meu o tal de rastro de barba no banheiro, nisso eu deixo a desejar, não sei o que acontece mas sempre ficam vestígios indicando que um barbado passou por aqui, vai ver que é porque eu odeio me barbear.
Quanto a hábitos femininos eu sempre me pergunto não teria um outro lugar pra secar as calcinhas que não seja dentro do box, até entendo que as fêmeas organizadas como elas só querem lavar as suas peças intimas assim que as tiram e o banho é o momento ideal, até ai tudo bem mas podia secar em outro lugar, já me perguntei em que me incomoda a calcinha pendura e não tive resposta, de fato não uma justificativa palpável só uma sensação de isso não poderia estar em outro lugar?
Outra coisa é que as mulheres tem uma relação diferente com a casa, lembro de uma ex me dizer que adora receber "AJUDA" para cuidar da casa mas não que saber de homem se metendo muito nas coisas da casa, eu entendo que vocês tenham esse desejo de cuidar, proteger, comprar coisinhas pra decorar a casa, estão sempre mais envolvidas com os assuntos domésticos que nós, mas será que algumas mulheres nesse desejo de cuidar da casa nova e do maridinho novo não acabam habituando os homens a saber na casa onde fica o quarto, o banheiro, a TV e a geladeira pra pegar cerveja?

Ah! Minhas vaquinhas adoradas sempre que escrevo um comentário aqui acaba virando um tratado, outro dia uma visitante de Niteroi me deixou o seguinte comentário.

Ana Luiza Paes Araújo disse...
este namoro do "wolverine responde" com o "somos todas umas vacas" está produzindo excelentes textos!!!

5 de agosto de 2007 02:24  
Blogger Wolverine Logan disse...

Vaquinhas
Vocês já viram os vídeos "Acontece" e "Acontece parte 2" lá no blog da Beth, vale conferir.

5 de agosto de 2007 02:26  
Anonymous Adão Braga disse...

Surtei não Beth... a Fabi, já mostrou parte do caminho:

Leia a Fabi.
http://euseimasesqueci.blogspot.com/2007/08/perdidos-mas-juntos.html

Dm, fazer rir uma vaca, deveria ser um dos deveres diario bovinos... significa que você já gostou!!!

Beth, de novo: viva solidão, e o desencontro, o choro e o desespero no caritó

Um cheiro queridas
Sou tosco, mas a vaca daqui, tem muito mais!!!

5 de agosto de 2007 10:36  
Blogger Claudio disse...

Acho que tem momentos que o melhor é a cueca na cadeira e outros em que o melhor é a cueca no armário. E outros ainda, em que o melhor é sem cueca e sem calcinha.

O melhor da "batalha dos sexos" é que ela não é interrompida pela "falta de energia elétrica nos nossos transmissores", como dizia a televisão dos anos 70.

bjs

5 de agosto de 2007 10:58  
Anonymous Beth disse...

Adão mas as pessoas são sós pq elas querem. Já falei para não jogar a tua felicidade nas costas de ninguém. Haverá sempre sofrimento no final das contas.


Ahhhh é tosco mesmo e machista. Concordo! Vc está punindo as mulheres por serem separadas, solteiras, por pensarem no melhor para suas vidas.

Meu amor, o que a mulher moderna faz, homem nenhum é capaz de fazer.


Afffffff....

5 de agosto de 2007 11:22  
Blogger Lih disse...

Gostei da teoria da 'Cueca na cadeira' da Srª sua mãe...
ahuHAUHuhauh

5 de agosto de 2007 11:49  
Blogger Tathiana disse...

Vi que rolou uma certa discussão sobre a vida da "vaca moderna". Acho que nós, "vacas modernas atuais" acumulamos funções demais, porém creio que os homens sejam capazes de se adaptar tb aos novos tempos e dividir tarefas que antes eram exclusivamente femininas (se as mulheres conseguem fazer tarefas que, no passado,eram exclusivamente masculinas, por que os homens não se adaptariam? A não ser, claro, os muito obtusos!). Nem todos têm vontades iguais como casar e ter filhos. "Seu tesouro está naquilo onde vc coloca seu coração". E, não necessariamente temos que colocar nosso tesouro em um único lugar ou só em determinadas pessoas (cônjuge e filho(s)). Se o ideal de algumas mulheres é casar e ter filhos, isso não impede que outras mulheres tenham outros ideiais como sucesso profissional, aprendizado, parentes como pai e mãe, exercer algum papel social que permita modificar para melhor o mundo a sua volta... Há muitas opções que não existiam antes. E ainda bem! Evidentemente, ao longo do tempo, a mulher foi tolhida por uma sociedade machista que não permitia que seus potenciais viessem à tona. Logo, acaba sendo mais uma questão social e de educação do que uma questão puramente genética.
Bom que temos tantas opções novas à disposição, pois somos diferentes, temos perspectivas diferentes e assim podemos fazer escolhas que sejam mais adequadas aos nossos ideais! Quaisquer sejam nossas escolhas, que as façamos de acordo com o que realmente desejamos - então teremos uma vida proveitosa, sem arrependimentos... uma vida feliz.
Beijos.

5 de agosto de 2007 16:28  
Anonymous Adão Braga disse...

Beth, meu amor!!! Se vamos ter nossa primeira desavença, que seja assim mesmo... que seja por eu defender a idéia que defendo que boi algum deveria permitir que sua vaca saisse de casa para trabalhar e sofrer.

Ele deveria enchê-la de mimos, de proteção, e se é para sair de casa, que seja sempre para uma festa, para algo que vá alegra-la. Penso que é dever do boi, fazer de tudo por sua vaca.

A vaquinha daqui já tentou sair para trabalhar, no entanto, fizemos as devidas avaliações:

- Quanto você ganha no final?
- Valeu a pena?
- Te realizou?
- Foi agradável ter ido?
- Somou?
- Contribuiu?
- Auxiliou?
- Foi só pelo dinheiro?

Depois de 3 tentativas fizemos um acordo:

Vejamos os prós e os contra. E se os prós ganharem eu cubro a oferta.

Você tem direito a 10% de toda a renda. Para você usar sem prestar conta. É sua renda.

Fora dinheiro para o salão, produtos de beleza, roupas, e outros itens que já é de obrigação do boi. Ela concordou. Total liberdade. Vida livre. Sem restrinções.

Então, meu bem, não existe isso de que estou punindo as separadas... só penso que há muito mais, separando homens e mulheres do que unindo-os.

Eu faço o que for necessário, inclusive, estar na contra-mão do modernismo, para se obter o melhor da vida: uma vaquinha, leiteira, que tenha carne para alimentar-nos, que seja bonitinha e bem zelada.

Minha vida querida Beth, orbita em torno da minha vaquinha. Ela é meu planeta, onde eu gravito.

É tristonho ver homens e mulheres separados quando deveriam estarem unidos em busca do que desejam.

Um cheiro querida... busquemos o equilibrio!!!

5 de agosto de 2007 16:28  
Blogger DM disse...

TATHIANE, VOCÊ FALOU TUDO ...
ADÃO, VOCÊ É UM BOI MEIO RETRÓGRADO NA BOA, CADA UMA DEVE ACHAR SEU JEITO PRÓPRIO DE SER FELIZ E SEU "MODUS VIVENDI", QUE MELHOR LHE APROUVER !!!!

CLAÚDIO: VOCÊ TAMBÉM ESTÁ CERTO, HÁ MOMENTOS NA VIDA DE CUECA NA CADEIRA, NO ARMÁRIO, MAS SEM CUECA E SEM CALÇINHA DEVE SER SEMPRE UM "MUST" !!!

BEIJOS QUERIDOS, VOCÊS DESENVOLVEM, HEM ... É SÓ DAR A LINHA ... É ESSE MESMO O PROPÓSITO DA VACAS, IMAGINEM TODOS NÓS EM UM BAR E/OU EM UM "RABO" DA VIDA !!!

5 de agosto de 2007 16:57  
Blogger Ricardo Rayol disse...

O bovino prestimoso oferece seus célebres préstimos para treinar as vacas em como educar seus respectivos bois.

5 de agosto de 2007 19:32  
Anonymous Adão Braga disse...

DM, faço parte da maioria... o mundo é assim.

De que adianta tenho exemplos de diversas mulheres e homens que chegam ao fim da vida e se perguntam: qual foi mesmo o propósito de minha existência? Pô, corri tanto até chegar aqui, eu trocaria tudo isto por uma vidinha pacata, simples e com 1 ou 2 filhos, um marido, e a segurança emocional de um relacionamento.

Não vou delongar não! Vou reproduzir as palavras de uma amiga:

- Adão, eu sou advogada. Advogo a 7 anos. Tenho reconhecimento, clientes e ganho dinheiro. Mas,o que quero mesmo, é o que Kátia (minha vaquinha)tem.

Eu disse a ela que não precisava abandonar tudo, bastava arranjar um companheiro disposto a viver com ela, nesta situação.

Ela tem 35. Arranjou um rapagão de 24. Vivem juntos. Tem um filho, e está grávida do segundo.

Pra que ficar rodeando amigas? O que nós bois queremos, também é o que vocês vaquinhas querem. Baixem a guarda! E assumamos nossas posições.

Por fim, digo-vos: a perpetuação da espécie, cobra caro e, realização profissional, pessoal, diplomas, carreira, dinheiro não paga... Vivam da melhor maneira, mas viva com um boizinho do lado!

5 de agosto de 2007 20:27  
Blogger Wolverine Logan disse...

Nem em sonhos achei que fosse ter esse tipo de discursão aqui neste blog mas já que o tema esquentou deixa eu ser bem direto, as mulheres travaram grandes batalhas pra ter o que tem hoje, o que não é pouco mas é só o começo dessa luta, conseguir direito a voto, poder trabalhar e ser bem remunerada em igualdade de condições com homens na mesma função(o que nem sempre acontece), ter suas opiniões respeitadas de seu parceiro, ser dona de sua sexualidade e outras tantas conquista são apenas a ponta do iceberg, o objetivo de fato é chegar um tempo onde esse tipo de discursão não mais seja necessário, que o reconhecimento da eqüidade entre homens e mulheres seja tão algo natural que ninguém precise cobra-lo, Adão me desculpe mas frase infeliz essa "boi algum deveria PERMITIR que sua vaca saísse de casa para trabalhar e sofrer", primeiro que nenhum ser humano deveria ter que pedir "PERMISSÃO" a outro pra fazer seja lá o que for da sua vida, segundo que se hoje as mulheres sofrem nesse processo é pela nossa(de nós homens) total incapacidade de nos adaptarmos ao ritmo de mudanças(para melhor) delas e de nosso tempo, será que não é tão claro que somos feitos de um mesmo material e nascemos em iguais condições.


"Homo sui umani nat a me alienum puto"

"Sou homem(do gênero humano) e nada do que é humano me é estranho"

Terenzio

Gente se liga! Tentar se colocar no lugar do outro poder exercício maravilhoso para evoluir como pessoa.

5 de agosto de 2007 20:31  
Blogger Eu e Ela disse...

Levando em consideração que com o passar do tempo começam a aprecer crises renais, coluna, e outras coisas que acompanham a idade, fico com sua mãe.
Cuidar de homem com dor tenham a certeza que é pior que cuidar de crianças, junto com os problemas com o banheiro e a desorganização masculina não tenho duvida.

Ai vejo pelo lado emocional, é tão bom ter um boi apaixonado em casa.

Então vamos ao meio termo, que tal quartos e banheiros separados?
Acho que é a solução, pelo menos pra mim. cada dia o "serviço" num quarto, ainda da pra variar o ambiente.

E ferias conjugais? já pensaram nisso? deveriam ser obrigatorias como as trabalhistas.

Mas quando amamos e somos amados nada disso faz sentido.

Disse como sua mãe após o primeiro casamento desfeito, de repente olha eu lá de novo, digo agora e nem estou totalmente sozinha, mas sei que um dia as palavras perderão o sentido novamente, e estarei eu com outra "cueca cheirosinha" no armario.
Bjs

5 de agosto de 2007 22:10  
Blogger luma disse...

A escolha entre cueca na cadeira e calcinha no duche está quente!!

Não vejo mal a mulher ficar cuidando somente da casa, marido e filhos se isso foi conversado antes de ficarem juntos e se o maridón tem condições para tal "conforto" - penso no caso de haver filhos. Filhos mal cuidados e educados por babás é pior do que a mulher se sentir escrava.

Venho de uma família de mulheres emancipadas emocional e financeiramente. Nos anos 60 a minha mãe casou com 40 anos com um homem de 25. Foi um escândalo!
A resposta dela pra tudo que passou, sempre foi: Com amor tudo é possível.

Ela educou os filhos para antes de assumirem compromisso sério, serem independentes financeiramente, principalmente as mulheres.

É ruim para a mulher não ter seus próprios meios de sobrevida após um relacionamento mal sucedido.
Talvez esse seja o motivo principal de muitas mulheres não deixarem de trabalhar, mesmo que o companheiro tenha condições de sustentá-la. Convenhamos que os relacionamentos estão mais fragilizados que os de antigamente que duravam meio século sem que algum dos dois pensassem em separação.

Acho que a receita para uma boa convivência é não se apegar a detalhes pequenos.

A toalha esquecida sobre a cama, eu colocaria no local onde o boi repousa o lombo. Assim, em vezes futuras ele se lembrará do desconforto que sentiu quando se aconchegou aos travesseiros.

Alguns homens são bem organizados, tanto que chegam a incomodar. Melhor mesmo é o meio termo. O equilíbrio como o Adão citou.

Beijus

5 de agosto de 2007 22:14  
Anonymous Adão Braga disse...

Wolve, as palavras não foram mais infeliz do que a interpretação... talvez tanto quanto...

O permitir na frase, não é ligado ao ato de dar permissão, mas a idéia de deixar acontecer, dar ocasião para que aconteça.

O sujeito, não ter estudado, não ter se preparado para dar a segurança necessária a esposa, e a família, sendo assim necessário, o engajamento da parceira na luta e na labuta do trabalho.

Há porém casos, e não sou contra, em que a vaquinha é mais sucedida, como foi o caso de meu amigo bima, que fechou a empresa, e foi-se embora com a sua esposa, que é juiza, e ganha muito bem...

A minha vaquinha não precisa de permissão para nada...ela é livre... Por sinal: quem dos que aqui estão, aceita que sua vaquinha saia de seu curral as 23:00 para festa diversas e chegue na manhã seguinte?

Quais vaquinhas aqui, que tenham seu boizinho, vive assim?

Eu desafio?

Os bois, nunca deveriam ter "pemitido" a situação chegar a este ponto, mas já que chegou, problema de quem tem... eu não tenho.

Eu cuido de minha vaquinha, e se possível, faço o sacrificio do Louva-Deus por ela.

6 de agosto de 2007 00:11  
Blogger AP disse...

Cueca na cadeira? Ahahaha! Boa, essa. Mas acho que uma das melhores partes de um relacionamento é dormir juntinho... E aí, como resolver isso?

6 de agosto de 2007 00:12  
Blogger Eu e Ela disse...

kkkkkkkkk
DM,
uns videos dando razão a sua mãe

http://br.youtube.com/watch?v=i4sTnqwIIK4

http://br.youtube.com/watch?v=aiWydsVapGs

bjs

6 de agosto de 2007 00:29  
Blogger Mélica disse...

Nossa... os comentários aqui estão "bombando"!:D
Uma compreensão está faltando na cabeça dos homens (que insistem em ser machistas), as mulheres querem independência e igualdade, mas não querem deixar de ser mulheres!! E isso não implica dizer "ser dona-do-lar e cuidar dos filhos".
Adorei o tema de hoje!
Uma ótima semana.. beijos pra vcs!

6 de agosto de 2007 06:01  
Blogger Wolverine Logan disse...

Adão
Assim que eu postei meu comentário anterior eu sai do "Somos todas umas vacas" e fui visitar o "blog da Melica", lá encontrei um post sobre tolerância, senti como se fosse um puxão de orelha e deixei um comentário dizendo que tinha sido duro com você aqui nesse dialogo, eu sou extremamente combativo defendendo ao que acredito, mas se sou um defensor da liberdade e do direito devo te dar também a liberdade de ter uma opinião diferente da minha, desculpe se as palavras foram um tanto duras demais, talvez seja resquícios de minha época de militância.

6 de agosto de 2007 06:19  
Anonymous 1ª Lady Newton disse...

Estudos, carreira, realização profissional e financeira, assim como independencia são minhas grandes realizações e meus objetivos de vida. Certamente que eu um dia vou ter como meta ter um filho, casar-me, mas tudo o que eu tiver construído antes, não será deixado de lado por metas novas.

Estou com a Beth em todos os sentidos. Mesmo que meu marido tenha uma carreira mais bem estruturada que a minha ou ganhe mais, nada vai me tirar o prazer de poder ser UNICA, livre, independente para poder inclusive, pegar meus filhos e lutar para ser feliz com outra pessoa.

Eu estudei muito, lutei muito e quero muito mais da vida. Entregar-se a vida pacata do lar é ao mesmo tempo estacionar-se e ter a certeza de que a vida não sofrerá mudanças. O amor é um sentimento mutante. E as situações também mudam.

Ser mulher é ser TUDO isso ao mesmo tempo! Mas não condeno aquelas que sentem prazer em ficar ao ladinho de quem ama, fazendo suas vontades sendo satifeita também pela boizinho também. Acho q as pessoas nascem com objetivos de vida diferentes...e como tb sou uma metamorfose ambulante, posso dizer que essa é minha opinião HOJE!

Ser flexível também é uma característica sábia!

Flexibility rules!
Respect rules!

6 de agosto de 2007 09:44  
Blogger DM disse...

LADY, VOCÊ TAMBÉM FALOU TUDO, A GENTE PASSA UMA VIDA INTEIRA ESTUDANDO, SE RALANDO, FAZENDO PÓS, ESTUDANDO IDIOMAS, PARA DEPOIS SÓ EXERCER ATIVIDADES DOMÉSTICAS E CUIDAR DO BOI E DA PROLE? SIMPLESMENTE NÃO DÁ.... DAÍ A MINHA IRRESIGNAÇÃO....PORQUE TENTO ÁS DURAS PENAS, FAZER TUDO ISSO AO MESMO TEMPO, PORQUE UM BOM CASAMENTO COM O BOI REALIZA, O FILHO REALIZA, E O TRABALHO E SUAS CONQUISTAS TAMBÉM REALIZAM, MAS HAJA JOGO DE CINTURA PARA CONCILIAR ISSO TUDO, TALVEZ SEJA ESTE O ALTO PREÇO DE NOSSAS CONQUISTAS FEMININAS, MAS QUE VALERAM A PENA, AH ISSO VALERAM ...

ADOREI O METAMORFOSE AMBULANTE E SUA CARACTERÍSTICA BÁSICA:FLEXIBILITY RULES! YES DEAR COW ...

EM TEMPO: ESTOU ELOCUBRANDO UM TEXTO SOBRE BOIS QUE SÓ TRABALHAM SEM TEMPO PRÁS VACAS, SEU CASO COM O SPIDER COW NÃO ME SAI DA CABEÇA ... TO NA CORRIDA, MAS AGUARDE DEAR NEFIEW!


BEIJOS E RULES!!!!

6 de agosto de 2007 10:52  
Anonymous 1ª Lady Newton disse...

Bem,então lá vão as novas:

Spider-Workaholic-Man passou a quinta discutindo a relação com a Lady aqui e foi na sexta a noit ficar o FDS com a mãe no interior já que não a via ha mais de um mês.

Nosso DR:

LN- Me sinto estranha sabendo que está longe.
SM- Vou estar sempre longe, lady! Vc sabe que é assim. Não acho justo te fazer cobranças já que nem sempre poderei estar perto.
LN- Eu decido isso, vc não acha?
SM- Acho q nos machucaremos menos e continuar assim. Pensa nisso!

Me beijou na testa e fez conchinha pra gente dormir...

Ai...ai...

6 de agosto de 2007 11:09  
Blogger André L. Soares disse...

Bom dia! Texto maravilhoso. Confesso que, ao iniciar a leitura, imaginei que seria mais uma prosa com tendência pessimista em relação à convivência homem e mulher. Adorei ao ver que não. Todo relacionamento humano é difícil. Em quaisquer contextos. A vida conjugal não poderia ser diferente, especialmente porque exige que cada parte ceda em alguns pontos. Mas essa adaptação mútua é que se constitui a grande maravilha. Voltarei depois para ler mais. Grande abraço a todas vocês!

6 de agosto de 2007 11:39  
Anonymous Adão Braga disse...

Logan:

Eu entendo... defendo da mesma maneira as minhas idéias...

Penso que o mundo é injusto com as mulheres. Elas tem sim direitos, e isto vem desde o tempo do Grande Hamurabi, que já estabelecia direitos as mulheres.

Hoje, penso que deveria haver leis em que mesmo para as mulheres independentes, auto-sufiecientes, elas precisam ser protegidas no momento em que decidem assumir um relacionamento. É o que em algumas culturas se chama de DOTE.

A vaca que já está estabelecida, precisar também ter garantias em ao se optar em ser mãe, dona de casa, viver esta experiência, mesmo se o canalha quiser sair, tenha que ser responsabilizado por diversos meios.

Porque motivo as vacas se empenham em se profissionalizar? Porque os bois, tem demonstrado que não são de confiança, e até tal do Alvim, diz que a mulher é responsável pela maternidade... então, o que fazer? Se proteger... eu conclamo aos bois, a que, ao se unirem a uma vaca, dêem a ela, a proteção necessária, e o zelo necessário, para que ela possa fazer o que a natureza tem para ela.

O problema, é mesmo inversões, ou perca de valores. Cara!, a minha vaquinha está perpertuando o meu nome... os boizinhos nascido, são borges... tem as minhas características, tem minhas informações genéticas, tem meus idéais, impresso pela convivência, então, porque não proteger esta vaquinha, e fazer com que ela se dedique mais ao nosso projeto?

Passei, Logan, longos anos ouvindo vaquinhas modernas sofrendo porque foram abandonadas, e que tenham que se resolver... é por isto que elas trabalham e se esforçam para ser independente... eu e aconselho: quando tiver seu curral, e ter uma vaca, zele dela, e dê a ela todas as garantias necessárias, e ela cuidará do curral e de você...

Já tive vaquinha evoluida... era uma caixa executiva de um banco... era montada na grana... mas quando juntamos os panos de bunda, e resolvemos ter nosso curral, ela também se sentiu segura, e quis deixar o emprego... eu sou um boi assim... dou segurança a minha vaquinha... e todas... digo mesmo... todas as minha vaquinhas tiveram a segurança necessária pra abandonar qualquer projeto, para viver e empenhar em nosso projeto: o nosso curral.

O problema, é que, isso é visto como machismo... então que se danem as que se entregam aos canalhas... que sofram... que fiquem com pensões que o F. Alvim estipulam....

Há fatalidades, e nestes casos, deve o boi ter tido a sapiencia de ter pensado nisto. Tenho seguro de vida... benefiaria? A vaquinha e os boizinhos... ~

Não sou contra vaquinha moderna, mas já estou farto de vaquinhas modernas virem mugir em meus moucos ouvidos as exigencias de vossos ubres.

6 de agosto de 2007 12:29  
Blogger Fabi disse...

Adão, to querendo um homem igual a voce. Onde encontro um disponivel?

6 de agosto de 2007 12:34  
Anonymous Adão Braga disse...

Fabi...

ai,ai,ai

Eu não sei onde encontrar um assim... eu sou assim, mas encontrar outro?? nem sei se meus irmãos de sangue o são... mas se encontrar... dou seu endereço...

6 de agosto de 2007 12:43  
Blogger Chris disse...

AP meme respondido...espero que tenha ficado legal... bjusss

6 de agosto de 2007 12:56  
Anonymous Adão Braga disse...

Beth, Dm, e 1ª Lady:

Vocês fazem parte do meio-para cima da piramide social... gostaria, se possível, vocês defenderem isto, tendo que recorrer a bolsa-familia... é muito fácil ser moderna, e independente da posição onde vocês estão... aqui em baixo não tem isso não...

A coitada da MC... que trabalhou aqui em casa, resolveu sair do emprego e deixar tudo que haviamos feito por ela, por um sujeito que ela mal conhecia... eu avisei:

- MC, não acredite nisso não... isso tá com cara de 171...

- Que nada Adão!! o cara tá na minha... tá arriado! apaixonou-se pela morena aqui.

Fim da história: 45 dias na cadeia, e um processo... agora além de ter perdido tudo que tinha tá mais complicada.

Venha ser moderna aqui na pobreza... vá ser moderna lá na base da piramide, com 380,00 por mês... venha!

Ou seja, vocês estão numa posição privilegiadas, e podem escolher. Então que seja o que se possa, mas não queiram achar que a realidade de vocês é a realidade possivel a todas... não, não é.

6 de agosto de 2007 13:09  
Blogger DM disse...

Querido Adão,
Não se trata de ser MODERNA ....
Se trata de buscar a realização em todas as áreas, seja na área pessoal profissional e no casamento !!!
Muito apreciaria que tais oportunidades fossem alcançadas por todas as vacas, de que classe social elas sejam !!!

Agora Adão, vacas de classe-média como nós, dão duro prá caramba, e ajudam também seus bois classe-média no orçamçamento doméstico, vai dizer que não, se ganha junto e se gasta junto também !!!!

A vida não é mole para ninguém, e isso não é papo morno de vaca, não!!!

Beijos

6 de agosto de 2007 14:56  
Anonymous 1ª Lady Newton disse...

A questão não é ser de classe média, alta, baixa... A qustão é que eu tenho q me sentir realizada no que eu gosto de fazer. E gosto sim, de trabalhar. Gosto muito d ter estudado e me especializado na coisa que mais amo fazer na vida. E acredite, não foi bolinho! Tive q me esforçar muito para conseguir chegar aqui e não vou desperdiçar um talento que acredito que eu tenha. Meu meprego, minha profissão são talentos que nunca deixarei adormecidos.

E meus filhos não ficarão desprovidos de nada por que eu exerço esse talento. E minha casa não será pior administrada porque eu não estou presente o tempo todo.

Minha mãe sepre foi uma mulher independente, sempre trabalhou e eu sou uma jovem/adulta feliz que quer seguir os mesmos passos. Detalhe: Ela esta casada e feliz com meu pai ha 30 anos!

A Formula da Felicidade não é uma só não Adão! Respeito sua teoria e entendo que algumas mulheres gostem disso e se sintam realizadas apenas com a maternidade ou os afazeres de casa, mas não posso concordar que isto seja algo que se possa relacionar com a classe das vacas!

Isso está relacionado com os objetivos de vida de cada pessoa em particular.

Particularities rules!

6 de agosto de 2007 15:19  
Anonymous Adão Braga disse...

Queridas,

DM e 1ª Lady:

Alguns baianos exclamariam:

- Ó pá íii ó!!!

Prioridades amigas. Prioridades e oportunidades. Aceitar certas idéias, como a do post, não é para todas... não são todas as vacas que estão aptas a viverem estes momentos.

Agora faça a proposta para os bois para ver se não querem??? Eu nem teimo, e aposto, que a maioria topa.

Terá o fim?

6 de agosto de 2007 19:04  
Blogger DM disse...

Bom será mais do que necessário, ouvir novos bois sobre o assunto, para o efetivo deslinde da questão !!!

6 de agosto de 2007 19:51  
Anonymous 1ª Lady Newton disse...

Meu boi tem orgulho do que eu faço. Da muita força pra que eu siga minha carriera como prioridade e saiba dosar o tempo com meus filhos qdo minha carreira já não for prioridade. Mas a manutenção dela, será sempre importante para minha realização pessoal.

A carreira do meu boizinho tb é prioridade pra ele hoje. Nem eu nem ele pretendemos deixar de lado nossas conquistas. Ao mesmo tempo que filhos são conquistas e a admisnistração de uma casa tb pode ser uma conquista, Para mim conqista de verdade é fazer TUDO ISSO de forma verdadeiramente primorosa!
Mas cada um te objetivos diferentes na vida! Nasci assim, fazer o que?

7 de agosto de 2007 08:14  
Blogger Angelina Jolie disse...

Acho que cada mulher tem suas próprias experiências e anseios. Eu, gostaria muito mesmo, que "meu boi" tivesse condições de me bancar pra que eu fizesse apenas o que gosto, e que o meu trabalho fosse praticamente um hobby. Meu sonho! Mas ainda não é possível, eu ralo pra caramba pra pagar as contas, e nem todas consigo pagar sempre, estamos vivendo momentos difíceis mas sei que a recompensa virá futuramente.

Acho que as mulheres tem que garantir sim seu ganha-pão, mas, temos que ter noção que não se pode igualhar TUDO no que se diz respeito a homens e mulheres, afinal, somente a mulher é capaz de carregar em seu ventre um filho e amamentá-lo, amor e criação de mãe não se discute, por isso sou muito preocupada com este meu futuro próximo, quando tiver filhos. Pra mim, que trabalho com internet, será mais fácil trabalhar de casa, mas nem todas tem essa possibilidade, e ficam divididas quanto à criação dos filhos e a carreira.

8 de agosto de 2007 10:32  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker