segunda-feira, 10 de setembro de 2007

A TRANSITORIEDADE DOS RELACIONAMENTOS BOVINOS

Na maioria dos casos, somos educados, desde a nossa mais tenra infância, a acreditar que todos os tipos de relacionamentos devam necessariamente se perpetuar no tempo e no espaço, sejam eles de que natureza forem, aqui enfocadas as relações de amor, de amizade e de trabalho.

Lembram-se das clássicas historinhas, que nos contavam quando éramos crianças? Sim, aquelas que tinham como protagonistas geralmente “princesas-vacas” e “bois-príncipes”, que após enfrentarem uma saga de bruxas-más, pedras e toda a sorte de impecilhos pelo caminho, no final eram praticamente “condenados” ao clássico refrão : Então se casaram e foram felizes para sempre ...

Pois é, mas a real vida bovina, as coisas não são dão bem assim, ou nunca se deram, sendo a por vezes dura, mas a grande verdade!

Diante das constantes mutações por que passam os relacionamentos atuais, a realidade nua e crua, é bem outra, ou seja: se casar e ser feliz para sempre, é geralmente uma rara exceção, que muitas amizades eventualmente terminam e que as relações de trabalho são mais do que provisórias, e geralmente costumam ter um começo, um meio e um fim, por vezes até já pré-determinados entre as partes. O que necessariamente nos obriga, a recomeçar e partir para novos e necessários projetos de vida, e dentre esse rol, para novos e promissores relacionamentos, por que não?

Então se tais realidades se mostram hoje tão pungentes, por que seguimos educando nossos filhos focados em exemplos tão irreais de vida? Não seria mais fácil, prepará-los para a vida, transmitindo-lhes, simplesmente a vida real ? O final da história poderia muito bem passar a ser transmitido de forma não menos lúdica e romântica, mas com uma pincelada de realismo providencial e por que não dizer, mais do que contemporânea, do tipo: Olha filho(a), o boi e a vaca vão se casar e ficar juntos e vão tentar ser felizes, mas se porventura alguma coisa der errado no meio de tal caminho, vão se separar sim, e procurar novos bois e vacas para com eles tentarem ser felizes novamente !

Bem sei que idéia soa um pouco, como anti-romântica, em um primeiro momento, até porque ninguém se casa ou se junta com um boi ou uma vaca, pensando hoje, em dividir o curral amanhã, não é mesmo?

Mas a transitoriedade das relações humanas atuais, é mais do que um fato, e nessas condições, deveríamos sim, acolher de braços abertos e sem tanta relutância, a idéia de que, se vivenciar dois ou três casamentos, nos dias atuais, se trata de algo mais do que natural, repassando essa idéia, também para as gerações futuras.

Quem sabe dessa forma os futuros bezerros, se mostrariam por certo, muito mais receptivos para essas novas estruturas familiares que inegavelmente são as atuais e assim, o eventual rompimento das relações tidas como institucionais, seria menos traumático e de mais fácil aceitação e receptividade, para todos os envolvidos na questão.

Sou vaca mais do que pós-graduada no tema, por isso acho interessante repassar a experiência adquirida, já que vivenciei esse tipo de ruptura em quase todos os pólos. Como vaca-filha de pais separados. Como ex-mulher de um boi de um primeiro casamento de 8 anos sem filhos, seguindo firme, na tentativa de ser vaca feliz. E em um segundo casamento, com um boi também separado e com duas filhas de seu casamento anterior. Em síntese: Sempre vivi e respirei toda a espécie de “rolos” bovinos da vida real ! E estou aqui, firme, forte e vitaminada !

Por essas e por outras, mais do que nunca cabe a nós, aceitarmos dentro de nós mesmos, a premissa de que os relacionamentos transitórios são hoje a regra, e não mais à exceção, como equivocadamente isso nos foi passado, tempos atrás.

Sempre é bom lembrar e passar adiante a verdadeira realidade de qualquer relacionamento, já profetizada tempos atrás, por nosso ilustre, mas nunca esquecido Poetinha, em seu antológico poema sobre o amor: “Que não seja imortal posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure ...”

A não menos sábia cronista gaúcha Martha Medeiros, em matéria de relações humanas, também já assentou convicção nesse sentido de forma bem humorada, assim sintetizada: Melhor aceitarmos de vez, a idéia: “De que um casamento longa-metragem pode ser bem-menos aborrecido, se transformado em dois ou três-curtas”!

Portanto, insistir em ignorar essas, nem tão novas assim realidades, é assumir uma postura retrógrada diante da vida, já não repassa-las às novas gerações, é caso patológico e típico da mais pura insanidade bovina!

11 Comentários:

Blogger Elza disse...

ixii, atualemte estou sendo retrograda, me comporto como se outros amores não possam exitir.
tenho mesmo é que encarar estas "novas verdades".


boa semanas.
=]

10 de setembro de 2007 21:56  
Blogger Wolverine Logan disse...

Vaquinhas fiz uma indicação, na verdade uma dica para que o blog de vocês fosse incluso entre as carta do Super Trunfo Blogs da galera do Treta
são 80 cartas hoje e eles tão prometendo ampliar, vou fazer campanha por blog das vaquinhas.
Se quiserem conferir qualé do jogo ai vai o link
http://www.treta.com.br/2007/09/super-trunfo-blogs.html

Beijos

11 de setembro de 2007 01:22  
Blogger Flávia disse...

Ando transformando relacionamentos em curtas, e quer saber? A convivência com os boizinhos ficou bem mais produtiva...

Adorei o blog.

Beijos!

11 de setembro de 2007 07:08  
Anonymous 1ª LADY NEWTON disse...

OLha, eu sempre vivi curtas metragens. Tive dois relacionamentos longos e com certeza, é pra nunca mais! É gostoso mudar não é? Não fico me lamentando quando uma relação acaba! É fossa para um dia ou dois! Nostalgia talvez. Mas passa. Acabou? Acabou! Começa de novo. Se começar e novo com a mesma pessoa, outro curta q começa.

O sentimento da gente muda. As atitudes das pessoas mudam conforme a mudança do sentimento. Humanos são seres estranhos!

Muito franca?
ACHO DIGNO COMEÇAR DE NOVO...Com a mesma pessoa! Começar de novo com outra pessoa! O legal é começar de noooooovo!

To Begin again and again RULES!

11 de setembro de 2007 08:57  
Blogger Ana Paula disse...

Tô com a Elza. A gente não pode sair por aí se comportando com se todo o relacionamento pudesse ser transitório. Não faria sentido. não haveria entrega pra esse relacionamento atual, seja ele do tipo que for... é importante termos em mente que o pra sempre pode acabar, e provavelmente vai acabar. Mas não vamos viver pela metade por causa disso.
Quanto aos contos de fadas, a frase que uso é "Foram felizes para sempre", sem a parte do casamento. Exemplo mais real do que a minha vida, meu filho não vai ver, então não preciso encher a cabeça dele com informações que ele não vai usar ainda...
Pra terminar, ai amiga, sorry... Marta Medeiros... É auto-ajuda pura...

11 de setembro de 2007 09:41  
Blogger Mila disse...

Acho que esta na hora de escrevermos novas histórias... pra contar aos bezerrinhos esta realidade que se impõe... Quanto a viver... Enquanto dure...
Beijos Mila

11 de setembro de 2007 10:11  
Blogger DM disse...

Pois é AP, tem crônicas da Martha que aprecio muitas, outras nem tanto, discordo quanto a auto-ajuda, ela só externa sua própria opinião sobre as coisas e a vida... Acho que também viveu uma separação dureza e sofreu muito com isso, como tudo mundo, por isso mente aberta até para o final, e acho que mostrar aos bezerros que a vida não é cor de rosa, minimiza sofrimentos, lógico que tem de ter jeito prá essas coisas .... Mas uma coisa é certa, a gente vive começando e recomeçando, as vezes até com a mesma pessoa ou com outras... Sempre inspirando e expirando como seu novo blog !!!
Haja fôlego para essa vida de bois e vacas !!!!

11 de setembro de 2007 10:46  
Blogger Thiane disse...

Ele aprontou de novo. Vocês não imaginam minha tristeza. Mas mto mais pela burrice de ter me permitido passar por isso de novo. Vou tentar escrever algo no blog esta semana. Beijos meninas

11 de setembro de 2007 18:31  
Blogger Iara Alencar disse...

eu aina sonho em me casar
ter filhotes
ter uma casa

mas ja to com 27 e nada até agora.

11 de setembro de 2007 19:08  
Anonymous nana' hayne disse...

Oi DM,

Eu acho que nem tem como deixar os bezerrinhos despreparados hj em dia...Eles sentem no "próprio courinho", rs.

Eu por exemplo, que tipo de explicações poderia dar se não estas mesmas ao meu filho quando me separei do pai dele e posteriormente tive mais dois outros casamentos?

Sou da geração que conseguiu ir aos shows do "poetinha", tempos faz que adotei o Soneto da Felicidade, como ideal de vida amorosa :)

Meu bezerrinho, hoje um belo boi de 22 anos, cresceu nestas reais bases de relacionamentos e sabe aceitar muitissimo bem meu relacionamento atual, com outro atual (nem tanto) tema da vida a dois:
Namorado 18 anos mais jovem.

Amar é o melhor, em curtas, ou longas, sempre o d.e.s.e.j.o é de que seja e.t.e.r.n.o que seja então enquanto dure!

(sociedade machista)Arrisco que:
Tal mudança ocorreu pela evolução da sinceridade interna do ser humano, claro que existe ainda os que são partidários de "uma vaca-santa em casa e uma vaca-puta (redundante isso, rs) na rua" mas como evoluiram tb os bois-putos as manóbras só podem mesmo cair na honestidade, com menos enrolação e mais realidade do que é um relacionamento :)

bjs,

11 de setembro de 2007 19:11  
Anonymous Beth disse...

Martha Medeiros? Well ... tenho um livro dela aqui que nem sei mais por onde anda. Acho Maitê e Marcia Peltier muito mais interessante.

Sabe DM, não gosto muito daqueles temas que seguem a linha do faça o que digo, mas não faça o que faço porque minha vida é uma droga, mas você não precisa saber que ela é uma droga. Acredito nas relações e o quanto elas podem dar certo, mas quando acaba, então, acabou-se, ponha um ponto final e um basta. Valorizo muito mais àqueles que tentam acertar sempre, mesmo batendo a cabeça, do que aqueles que vivem eternas masturbações matrimoniais sofriveis e que tocam eternamente na tecla do dó dó dó .... "tenham dó de mim". Não tenho mais paciência para essas coisas.

Os bezerrinhos de hoje em dia, são muito mais inteligentes do que esperamos e muitos têm a grande sacação quando algo não vai bem dentro do seu lar.

A transitoriedade das relações humanas, a meu ver, sempre existiu. Principalmente com o advento do desquite/divórcio no século passado, onde, ficou tudo muito mais as claras. Talvez, a sociedade, esteja menos hipócrita nesse ponto e aprendendo a discutir o assunto de forma saudável e inteligente.


Meninas .... beijão saudoso!!
Boa Semana para vocês !!

12 de setembro de 2007 00:11  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker