quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

NÃO COBIÇARAS A VACA DO PRÓXIMO ...

Juro! Acho que “Deus”, ou seus mandatários na terra, aqui me referindo à boiada religiosa de plantão, deveriam mandar atualizar de vez todos os mandamentos tidos como sagrados, uma vez que é irrefutável a premissa de que quase todos, se encontram, na atualidade, em absoluto desuso.

Como acontece diariamente com a maioria das leis, que de um dia para outro se tornam ociosas e inúteis, sendo definitivamente suplantadas por novos costumes, acho que os tais mandamentos celestiais, mereciam também uma reformulação providencial, uma vez que na vida prática se encontram absolutamente inaplicáveis...

Tomemos como exemplo, o particular e absoluto desuso do 7º ou 9º mandamento (não sei bem a ordem cronológica do mesmo, mas já ouvi falar de quase todos), e que serve de título a este “post”, não cobiçaras a vaca/mulher do próximo, o qual foi por mim recentemente constado, quando do recente comparecimento a uma festa, na qual me fiz acompanhar de meu boi-litisconsorte de plantão.

Evento do estilo confraternização de trabalho de final de ano, do setor automobilístico. Catalogado como “phyno”, com direito a “jantar francês”, realizado em hotel da categoria “five-stars”, seguido de show. Traje: esporte fino ou alto-esporte, como preferirem. Permitida, portanto, a entrada de bois informalmente sem gravata, e vacas trajadas com indumentária festiva. Como estava quente, no dia hora, e local, foi de pronto constatado o uso excessivo pelas vacas de decotes e fendas, deixando-se sutilmente a mostra, o que eventualmente cada uma tem de bom, ou não, conforme o caso particular de cada uma. (Definitivamente, foi por mim constatado, que algumas vacas e bois, estão a precisar com urgência de um providencial “cow-personal styler”, pois se vê cada coisa de arrepiar...)

Mas, vamos aos fatos mais relevantes: constata-se logo no início do evento, que todos os bois, sem exceção, observam sem o menor pudor, MEESMOO, as vacas dos outros bois ali presentes. Alguns com um certo ar de discrição, outros já nem tanto. Até aí tudo bem. Nada mais normal do que se admirar novos e desconhecidos companheiros(as) de rebanho, sua indumentária, seus trejeitos, afinal o objetivo da coisa toda é mesmo “uma confraternização bovina”, nos moldes tradicionais. E festas servem para isso mesmo! Para descontrair, confraternizar e conhecer e estabelecer novos contatos com bois e vacas strangers. Why not ?

Detalhe de somenos importância: a maioria dos bois e vacas presentes ao evento era casada ou tida como formal ou informalmente comprometida.

Observei, com certo espanto, que no desenrolar da festa, e depois de “umas que outras”, que a boiada, aparentemente comprometida, talvez por influência etílica, ou sem-vergonhice bovina. começou então a se comportar de forma mais ofensiva e surreal. Bovinos passaram a fitar de forma ostensiva as vacas dos outros, e algumas destas até correspondiam aos olhares ferinos dos bovinos sem o menor pudor.

Estabelece-se então, no jantar sério, mas não menos informal, uma verdadeira “sopa de letrinhas”, onde todo mundo dava literalmente “letra” para tudo mundo, (tudo na maior discreção, é claro) mesmo que acompanhados de seus bois e vacas respectivos.

Aí, não pude deixar de refletir, vaquisticamente falando: será que estavam todos nessa festa momentaneamente infelizes com seus parceiros atuais? Ou será da natureza bovina, digo humana, esse desejo insano de cobiçar outros parceiros, mesmo quando estamos acompanhados? Ou tudo não passa de um mero jogo de sedução ancestral, com vistas a massagear o ego bovino de cada um?

Experiência pessoal: não sou santa, confesso que no dia do evento, também olhei de forma distraída e casual para alguns bovinos do tipo mais bem-apessoados, era quase que inevitável, eles desfilavam na minha frente... Mas por nem um momento sequer, cobicei ou desejei estar com um boi distinto do que me acompanhava. Sentia-me mais do feliz ao lado dele (que estava um gato-boi!), queria mesmo era sair da tal festa e ficar a sós com ele. Tamanha “azaração” bovina coletiva, tinha mexido com meus hormônios e com os de meu boi também...

Já os outros bois e vacas que lá estavam, principalmente os bois... Sei não, indiscutivelmente, todos invariavelmente cobiçaram a mulher do próximo, arranhando e profanando sem dó nem piedade o citado mandamento celestial, que cá entre nós, ainda que ético, convenhamos , não é mais observado por quase que ninguém!


8 Comentários:

Blogger Ana Paula disse...

Amiga! Que festa era essa, hein? Vou te falar... rs
Olha, nunca reparei isso em lugar nenhum que frequentei acompanhada, fosse com quem fosse... Claro, sempre tem um mais afoito que espicha os olhos com gulodice além da permitida. Mas não assim, de forma tão geral... Quase todo mundo? Deve ser alguma coisa que puseram na bebida ou o calor, hahahaha!

Mas, de uma certa forma, embora eu não seja católica, acho que quaaaase todos os mandamentos são bem atuais, inclusive esse. Homens e mulheres éticos e do bem podem olhar, mas não cobiçar o par do próximo.

Beijos!

12 de dezembro de 2007 18:35  
Blogger Murdock disse...

É coisa de ego mesmo, de se sentir desejado, de poder dizer que a mulher ou marido de alguém ficou dando mole. Um lixo total no final das contas...

12 de dezembro de 2007 21:52  
Blogger Jesus Apócrifo disse...

Filha, você diz que o mandamento deveria ser abolido, mudado, subtraido, mas, todo os seu texto, é para reclamar que não obedeceram o mesmo! Então, é melhor mantê-lo!!!

13 de dezembro de 2007 00:18  
Anonymous Erika disse...

é impressionante como nessas festas de currais trabalho, acontecem dessas coisas.

eu, como solteirissima, fico no canto só "urubuservando".. e rindo óbvio, porque tem uns que são completamente ridículos.. rsrs

beijos

www.oncoto.erikamurari.com.br

13 de dezembro de 2007 06:36  
Blogger Eu e Ela disse...

outro dia presenciei uma dessas festas num restaurante, como o papo tava meio chato e foi minha diversão.
Estava numa mesa na varanda, volta e meia vinha um pedir licença pra ligar pra casa, cada desculpa....
Mas que é gostoso, isso é, lavar a alma depois de um ano de trabalho, o negocio so fica ruim porque vem mais um e ninguém sabe como o outro reage pós ressaca.

Beijinhos

13 de dezembro de 2007 17:46  
Blogger Ricardo Rayol disse...

se não houve briga ou tiro até que essa cobiça não foi assim tão competente

15 de dezembro de 2007 10:30  
Anonymous Beth disse...

Pois é...
Festas de trabalho e faculdade é sem comentários...cobiça geral! O problemas é quando se gosta da ser cobiçado e tudo vai além de uma simples cobiça.
No dia seguinte além da dor de cabeça é um bafafa e tititi

15 de dezembro de 2007 16:52  
Blogger Caetano disse...

que blog legal!
adorei o nome, o texto, o humor...
não cobiçar é tão difícil
=)

beijo

20 de dezembro de 2007 07:37  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker