segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Vacas, cachorras e coleiras



A notícia nem é tão fresca. Saiu na semana passada na BBC no Fantástico... Um casal de ingleses foi impedido de entrar num ônibus... porque a moça estava sendo puxada por uma coleira! A empresa de ônibus alegou preocupação com a segurança da moça. No caso de uma freada, ela poderia se machucar... Já o casal disse se sentir discriminado...

Bom, não estou aqui para discutir a segurança física da moça... Acho até que a preocupação da empresa de ônibus procede, mesmo. Numa freada brusca do dito coletivo, a coleira poderia machucar ou até, toc, toc, toc, matar. Depois, dá-lhe processo em cima da empresa!

Mas penso no lado emocional dessa coisa toda... Imagino que o uso da coleira queira significar, além da submissão total dela, confiança no noivo (ah, sim, são noivos, os dois) e sei lá mais o quê... Hum, pra ser sincera, nada contra uma coleirinha - mas uma mais ao estilo Luma, com o nome do dono - em certas ocasiões, pra fazer uma graça, realizar uma fantasia... Mas usá-la por submissão total a um homem??? TEM DÓ! Querida Maltby (esse é o nome da moça!) homem não gosta de mulher assim, tão submissa, não. Uma hora, ele cansa e vai atrás da primeira vaca que puser uma argola no nariz dele, pra puxá-lo feito touro. Ou da primeira que pisar, de salto alto, nele. Ou daquela que usar chicote. Isso tudo literalmente falando. Ou não, hahahahaha! Aquela que falar mais alto que ele, mesmo que seja de vez em quando, leva o cara. A que tiver opinião própria, ganha. Abra o olho, encoleirada vaca!!! Homem gosta de meninas más!

Depois, já vi cachorras usando coleiras. Mas vacas??? Não. Só se for pra enfeitar, minha filha. Eu mesma admito que tenho o pescoço comprido, perfeito pra coleiras, mas só as de enfeite. E olhe lá...

E boa sorte para a moça inglesa de coleira e para todas as encoleiradas desse mundo!



Em tempo: minha amiga nada encoleirada DM manda notícias. Está de volta e bem, mas atarefadíssima. Beijos, amiga!

11 Comentários:

Blogger Fabi disse...

Putz, sair com coleira...isso só pode ser coisa de gente com problemas mentais. Gente normal nem usa e nem pede pra q o outro use dessa forma.

bj

28 de janeiro de 2008 11:14  
Anonymous Anônimo disse...

Hum... Vc de coleira? Gostei da idéia, bonita.

28 de janeiro de 2008 12:29  
Blogger Ana Paula disse...

Fabi, cada doido com a sua mania... Bj!

Anônimo... Minha coleira já tem um nome: André. Mas obrigada pelo bonita.

28 de janeiro de 2008 13:05  
Blogger Wolverine Logan disse...

Nem vejo problema se for de comum acordo, coleira, aliança ou qualquer outra simbologia, desde de que seja assim simbólico. Uma forma de externar o que se sente, o que não pode é imposição, pode ter certeza que tem formas cruéis de castrar, limitar, acossar e oprimir as mulheres usadas por homens a milhares de anos que são socialmente aceitas.
Passear na rua não, mas numa festa ou boate menos convencional que permitisse a ousadia eu iria com uma mulher me conduzindo pela coleira, desde que isso ficasse bem entre nós.

Beijos

28 de janeiro de 2008 13:18  
Blogger DM disse...

OK... Botar coleira, pro boi prá fazer uma "festinha", realizar uma fnatasia do cara, a fim de que o mesmo se sinta o absoluto dono do pedaço, va lá, admito e até acho tudo muito divertido entre QUATRO PAREDES .... Agora sair por aí feito uma cadela !!! Me poupem, essa nova moda não combina com vacas não ... Mas sem preconceitos, cada "louco" com a sua mania !!!!Coisa de doidas nõa ???

Beijos, matando saudades !!!!

28 de janeiro de 2008 13:30  
Blogger Ana Paula disse...

Wol! Aliança eu uso pra quem quiser ver... Já coleira... rs

Amiga DM! Coleira sáo pro cara se sentir dono de vez em qdo. Concordo com vc: vá lá... Mas sair na rua? Tem dó...

Beijos para os dois!

28 de janeiro de 2008 13:33  
Blogger Ricardo Rayol disse...

se bem me lemvbro era um casal gótico, e pela foto dos dois eles mereciam estar presos coisa mais bizarra

28 de janeiro de 2008 15:30  
Blogger DrFox disse...

Oi Ana,

Não tinha visto esse post. Bom, lá vai chumbo:

Essa coisa da submissão desde que praticada de forma consensual é apenas mais uma forma de expressão.

Não devemos julgar algo que não conhecemos, até porque os Europeus já são diferentes por natureza de nós.

No mais, realmente existe uma quantidade enorme de homens submissos que adorariam ser subjulgados por suas "donas" sejam elas vacas ou cadelas.

Mas afinal o que isso quer dizer, o mundo tá cheio de gays também e isso não muda nada.

Eu já botei coleira, algema, corda e mais um monte de outros apetrechos em diversas "vacas-cadelas" e isso sempre foi uma coisa saudável e realizada dentro de um contexto de fantasia.

O inverso nunca foi possível, só de pensar na idéia broxo na hora, mas isso é de cada um.

Pra finalizar, posso dizer que muito provavelmente a idéia de sair encoleirada partiu da própria mulher, que submissa assumida, não mede esforços para demonstrar sua dedicação e fidelidade ao seu "dono".

Pode parecer estranho, mas tenho certeza de que ela se sentiu muito orgulhosa ao se expor assim e que não foi forçada a nada.

Bjs

28 de janeiro de 2008 22:13  
Anonymous Beth disse...

Eu até colocaria...
se fossem de diamantes....
e se chegasse em casa colocasse umas algemas nas mãos e nos pés dele...e vestisse nele a cueca de elefantinho....

29 de janeiro de 2008 06:42  
Anonymous 1ª Lady Newton disse...

Gosto de coleiras.

Contextualizadas e entre 4 paredes.
Nem vou falar muito pois este assunto me desnorteia.

Muito franca? Acho digno meu cachorrinho me olhando com aqueles olhinhos pidões me implorando algum carinho (cachorrinho racional), mas realmente tudo na alcova. Acho estas práticas SM um LUXO. La em Milano é moda que está sempre em voga!

Saudades de vcs.

29 de janeiro de 2008 07:40  
Anonymous Apockalyptik disse...

Eu li sobre isso em outro site. Cada um com seu fetiche, e jeito de chamar atenção, mas não vejo nada d+, é interessante até, kinda sexy.

29 de janeiro de 2008 17:53  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker