terça-feira, 18 de março de 2008

Vacas aterrorizantes


Tenho medo, como dizia minha saudosa amiga Lady Newton, lembrando de um velho e famoso comercial da Regina Duarte... Tenho muito medo. Há todo um rebanho de vacas por aí de fazer suar frio ou correr pra se esconder debaixo da cama qualquer Rambo ou Lara Croft por aí. Hoje eu me lembrei de três:

  • Vaca sorridente demais: Pessoas normais não podem ser felizes o tempo todo, isso não existe. E lá está ela, com aquele sorriso fake, contínuo, eterno. Tá sempre tudo muuuito bem pra ela, ela sempre se diz feliz em qualquer condição de temperatura ou pressão. Tenho medo do sorriso e tenho pavor de pensar na hora em que ele se apagar. A diva delas: Bree Hodge, personagem de Desperate Housewives, interpretada por Marcia Cross. Elas pensam que são agradáveis e pra cima e suuuper alto astral, mas os outros a vêem como falsas... (Conseguem guardar um segredo? Aqui na minha família tem uma assim. Eu e minhas irmãs, todas umas vacas, a chamamos carinhosamente de "Sorriso de Serial Killer", de tão natural que é e de tanto medo que ela nos dá... Que fofas que nós somos!)

  • Vaca fúnebre: O contrário da vaca acima citada também me assusta. Essa vaca tá mais pra hiena de desenho animado (Eu sei que não vai dar certo... Ó dia... Ó azar...) do que pra bovina propriamente dita. Tudo sempre vai dar errado. Edward Murphy (aquele...) é o ídolo dessa vaca. Pela cabeça dela passam as hipóteses mais absurdas e lúgrebes... Mas elas se acham cautelosas e previnidas. São, não. São medrosas e baixo-astral. Eu fujo dessas como o diabo foge da cruz. Esse tipo de sentimento contamina. Tenho uma amiga assim... Tenho pena, acho que isso afasta todos dela. Acho que ela é uma pessoa só.

  • Vaca que não segura a língua: Fazendo o favor, somos civilizados. Por mais desbocada ou autêntica ou macho pra caramba que uma vaca possa ser, há horas em que é necessário escolher o que dizer, quando dizer, na frente de quem dizer... Como dizia meu sábio pai: as palavras são de prata, mas o silêncio é de ouro... Ou, no popular: vaca, em boca fechada não entra mosca! Esse tipo bovino me assusta porque nunca se sabe onde ela vai parar, se tem limites, se perde as estribeiras, se sobe nas tamancas, se desce o morro... Elas se acham descoladas e autênticas. Mas eu diria que são grosseiras e descontroladas. Ídala absoluta? Tati Quebra-Barraco!
Querida amiga leitora: se você se enquadra em alguma dessas vacas, aceite o conselho dessa tola que vos escreve: reveja seu comportamento. Nada de ficar por aí, assustando as pessoas... A vítima pode ser você!

Agora, fofa, se você é bipolar como eu... Ninguém vai poder nos chamar de entediantes, não é? Somos todas essas vacas, mas uma de cada vez! (Sou, mas quem não é? Ah... Também tenho medo das bipolares como eu! Mas esse assunto fica pra outro post ou pras Doutoras do Sou Pára-raio de Doido)
Blogged with the Flock Browser

41 Comentários:

Blogger darsh. disse...

Caramba, essa primeira vaca (do sorrisso all the time) existe aos montes!
Como é que pode?
Não posso estar um dia estressada, que vem uma "ahh,eixa disso, a vida é tão linda!" e sai pulando sorridente.
¬¬


beijos, adorei o blog ^^
(já tinha passado antes)

18 de março de 2008 13:05  
Anonymous Anônimo disse...

Tenho meda... rsrsrsrsrs

Gosto daqui desse curral, vaquinhas.

18 de março de 2008 13:34  
Anonymous Anônimo disse...

Desculpe, não entendi seu blog.
Afinal.Vc critica todas às personalidades e no final se declara possuidora... meio ambíguo, não?
Mas fora isso, vc tem um texto bom.

Monica

18 de março de 2008 15:45  
Blogger Ana Paula disse...

Darsh, parece que elas nos perseguem, não é? Principalmente quando estamos de mau humor...


Anônimo/a... Obrigada, venha sempre.


Monica... O objetivo do nosso blog é, de uma forma descontraída, comentarmos comportamentos femininos. Aí, como somos, eu e a DM, palpiteiras, acabamos falando de tudo: de homens, filhos, trabalhos, ex, personalidades...

Nesse post eu não quis só criticar. Esses tipos existem, sim... Mas eu precisei fazer a minha mea culpa: cada hora sou uma delas. E imagino que isso assuste qq um menos aviso... rs
Amb´gua, sim: praticamente uma bipolar! rs

Quanto ao seu elogio ao meu texto... Obrigada, ganhei o dia.

Seja bem-vinda e volte sempre. Críticas e elogios são sempre aceitos e respeitados por aqui.


Beijos para todos!

18 de março de 2008 15:54  
Blogger minicontosperversos disse...

Ana: respondemos teu comentário lá. Adoramos todos eles, viu? Só não replicamos aqui porque não sabemos aceitação do assunto leitinho entre as vacas.

18 de março de 2008 16:02  
Blogger minicontosperversos disse...

Ah, sim, e a Bree é a melhor das desesperadas.

18 de março de 2008 16:02  
Blogger Ana Paula disse...

minicontosperversos... Ah, esse comentário aqui já foi, por si só, um espetáculo, hahahaha! Vou lá ler as respostas, obrigada.

Ela é, não é? Que sorriso! rs

18 de março de 2008 16:04  
Blogger minicontosperversos disse...

Ei, sem problemas com ser explícita. É por isso que a gente tá lá. Mas vamos ao nosso ponto de vista. É muito bom receber, e sem problemas beijar antes e durante. É maravilhoso receber uma até o final. Mas dái beijar... hum... mesmo sendo nosso, não rola. É o que a narradora do conto quis dizer. Tipo "vem aqui que eu te mostro".

O "bolotas de neve" era um desses casos radicais.

10 sua participação. Devia visitar mais a gente!!!!

18 de março de 2008 16:19  
Blogger Ana Paula disse...

Minicontosperversos... Visitar eu visito. Vou tentar comentar mais.
Beijos!

18 de março de 2008 16:24  
Anonymous srta. rosa disse...

Hahaha, adorei a parte de uma de cada vez... :*)

18 de março de 2008 16:24  
Blogger minicontosperversos disse...

Somos parecidos nisso de não comentar. Porque às vezes não há o que dizer e achamos estranhos aqueles comentário do tipo: "É, legal isso! Comigo também". Vazio. Por sermos muito críticos (até com a gente), daí criamos um tipo de auto-policiamento.

Bem, vc sabe como comentar em off, certo?

18 de março de 2008 16:25  
Blogger Ana Paula disse...

Srta Rosa, uma de cada vez, pra não assustar! Somos vacas, mas não somos doidas de carteirinha! rs



minicontosperversos... Existe isso? rs

18 de março de 2008 16:30  
Blogger minicontosperversos disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

18 de março de 2008 16:31  
Blogger Ana Paula disse...

Ahahaha! A lerda aqui achando que era algum tipo de função que eu não conhecia! Tá anotado e deletado.

18 de março de 2008 16:34  
Blogger minicontosperversos disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

18 de março de 2008 16:38  
Blogger Bridget Jones disse...

Eu tava bem tranquila dando uma lidinha nos bogs amigos e me deparo com esta pérola da minha amiga-doutora Anapá!

Quer saber? Um dos seus posts que mais gostei até hj, sabia? Nossa amiga Lady Newton (Muito franca? Acho digno!) estaria orgulhosa deste "artigo"...

Gatchinha! Sinto sempre muito a sua falta! E estarei sempre, sempre, sempre aqui!

Beijo com gosto de amizade (olha q coisa meiga!)

18 de março de 2008 16:47  
Blogger Ana Paula disse...

Jura? Sério? Nossa, vindo de vc, Dra, que escreve como ninguém, é um super elogio...

Nossa amiga Lady faz falta. Acho que deve estar em Milano, muito phynna, vivendo um tórrido romance com algum aDEvogado italiano podre de rico e charmoso de matar...

Eu também estou sempre aqui para você. Você sabe, né?

Retribuo os beijos com sabor de amizada (nossa, é muita meiguice pra um blog só! rs)

18 de março de 2008 16:55  
Blogger minicontosperversos disse...

E nós, que moramos em outra cidade, loooonge, abandonados... Vendo essa demonstração linda de carinho! Vamos procurar um prédio bem alto pra pular hj à noite.

18 de março de 2008 17:00  
Blogger Ana Paula disse...

minicontosperversos... Mas eu e a Dra Bridget moramos em cidades diferentes... Triste... Nossa amizade (ainda) é puramente virtual... Mas cheia de histórias pra contar.

Dra Bridget, vou me casar só pra fazer festa e vc vir aqui, hein? Vc e a Fabi serão as madrinhas...

18 de março de 2008 17:03  
Anonymous Anônimo disse...

Ai, ai...
Transtorno bipolar assusta, né?
E nem vou te contar nada amiga.
Beijos,
Paola.

18 de março de 2008 17:05  
Anonymous Anônimo disse...

Ops!
Entrou anônimo pq já estou quase de saída...
Bjo,
Paola.

18 de março de 2008 17:06  
Blogger Ana Paula disse...

Paolete... Ô, se assusta, minha filha...

Beijos, lindona!

18 de março de 2008 17:17  
Blogger DM disse...

Belíssimo texto, colega titular de rebanho... Você aborda as vacas mais comuns das quais em dias de chuva ou de sol, a gente tem vontade de sair correndo ....

Concordo com você: Vacas sorridentes "full time" me pareçem falsas, no caminho inverso às a la Hiena do Desenho, são de dar dó ...

Mas acho que as bipolares, tem sempre um pouco das duas, depende de como se apresenta o dia Dia Bovino ... Hoje por exemplo to mais hiena que qualquer coisa ....
Ma tô sozinha, reclamando da vida, e do monte de trabalho que tenho pela frente ...

Beijos

18 de março de 2008 18:35  
Blogger Ana Paula disse...

Querida co-autora... Hoje vcs resolveram me sacanear? rs
Um textinho assim tão despretensioso ser tão elogiado? rs

Tá no seu dia de vaca-hiena, né? E pelo que li no e-mail agorinha... Tem toda a razão de estar. Já, já te respondo...

Descansa e bebe muito líquido.

Tô pensando em mais algumas assustadoras... Se tiver algumas, posta aí pra gente.

Beijos!

18 de março de 2008 20:14  
Blogger Murdock disse...

Eu conheço uma dessas sorridentes aí, chega dar raiva e ainda acham que a gente é que está sempre reclamando e de mau humor.

19 de março de 2008 08:01  
Blogger Eu e Ela disse...

Eu tenho medo das que sorriem o tempo todo, tenho mesmo.

Eu sou de variar, isso é ser bipolar????
Não gosto de ser igual o tempo todo.
afinal quem gosta????

quem ri muito esconde tudo quando é tipo de sentimento ruim....
Tenho medo e vou continuar tendo....

19 de março de 2008 11:45  
Blogger Larissa disse...

Acho que sou uma Vaca fúnebre.. sempre penso nos piores desfechos para as situações em que me encontro e tento fugir. Mas depois, toco logo o fuoda-se e seja o que Deus quiser!

19 de março de 2008 13:48  
Blogger Ana Paula disse...

Murdock, elas estão se multiplicando... Sempre sorridentes. Ai que medo! rs

Sarah, elas são quase uma unanimidade...
Sim, variar é ó-ti-mo!


Larissa, se vc liga o foda-se depois de pensar, não pode se achar uma vaca fúnebre. Elas nunca ligam o foda-se... Estão sempre prontas pro pior... Um horror.


Beijos pra vcs!

19 de março de 2008 14:49  
Blogger Larissa disse...

Sou uma vaca semi-fúnebre, então!
auhuhauhauhauha
Adotei um novo termo.

Beijos pra você, Ana Paula!

19 de março de 2008 14:53  
Blogger Kira! disse...

O último paragrafo me consolou tanto, foi um alívio bem grande assim!
hahahaha


=)
Beijos
=*

19 de março de 2008 15:17  
Blogger Ricardo Rayol disse...

isso que eu chamo de serviço de utilidade pública e assistencia psicológica gratuita

19 de março de 2008 17:28  
Blogger MH disse...

Meu, simplesmente fantastico esse texto.
Amei.
As referencias sao brilhantes: desperate...a Bree me da medo. A hiena...OH DIA , O DOR, O AZAR hahahahahahahhaha..muito bom.
Agora o que me assusta mesmo é que convivo com os tres tipos de vaca.
A que me da mais medo: A QUE NAO PARA DE SORRIR.
Gente, tirando a Monalisa, ninguem sorri 24 horas por dia.
Medo...muito medo.

19 de março de 2008 21:10  
Anonymous Notebooks disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Notebook, I hope you enjoy. The address is http://notebooks-brasil.blogspot.com. A hug.

20 de março de 2008 03:38  
Blogger Ana Paula disse...

Larissa, vaca semi-fúnebre é ó-ti-mo!


Kira!, tá vendo, somos todas umas vacas bipolares, hahahahaha! É tão bom encontrar semelhantes, né? Eu adoro! rs


Rayol, temos que arrumar um jeito de viver disso, hahahaha!


MH, cara, brilhante? Que nada!
Putz, eu tb convivo com os três tipos de vaca... Tem que ter raça, pra isso!
"Gente, tirando a Monalisa, ninguem sorri 24 horas por dia"? Gostei, vou usar essa!


Beijos pra todos!

20 de março de 2008 09:13  
Anonymous Lola disse...

ó, to com saudade! beijo!

ps: três vivas para as bipolares!

20 de março de 2008 09:37  
Blogger fabiana disse...

amiga, sao os fdp dos hormonios cara, a culpa eh deles.

beijos

20 de março de 2008 17:30  
Anonymous Adao Braga disse...

Essas vacas estão cada vez mais humanas... comentou destas outras e se auto-retratou... he he he


somos assim memos ou assim mesmas! Coisas típicas de humanos!

Talvez elas pensam exatamente assim de nós outos. Loucos são os outros não nós!

21 de março de 2008 11:31  
Blogger Mila disse...

Passando pra te desejar uma Feliz Páscoa!!!!
Beijos Mila

22 de março de 2008 17:49  
Blogger Iara Alencar disse...

Há uma musica do frejat que fala que ri é necessário mas rir demais é desespero.

Sei lá, sou uma palhaça, mas ando passando por uns momentos de tristeza que nao entendo.

24 de março de 2008 13:47  
Blogger MakiN disse...

Parabens pelo seu blog q ta mto fóda... curti o texto... principalmente sobre a sorridente demais XD


conheço mtas pessoas assim

25 de março de 2008 23:04  
Anonymous Beth disse...

E quem se importa com vacas assim???

26 de março de 2008 11:39  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial



 

 

Um olhar feminino sobre o universo... digamos, bovino. Mulheres falando da vida e de outras mulheres.
Mulheres explicando às outras que, querendo ou não, somos todas umas vacas!




A calma alma má
A cor da letra
Adão Braga - Corpo, alma e espírito
Adão Braga - Conectado
Aletômetro
All Racing
Apoio Fraterno
Ansiosa e prematura
Avassaladora
Banana com peperoncino
Bomba MH
By Oscar Luiz
Coisas e tralhas - Mutumutum
Colóquio
Concerto em Dó Menor
Conversas furtadas
Eu sei, mas Esqueci
Eu sou garota?
Fábio Centenaro
Geek Chic
Gothicbox
Hipermoderna
Immortal lust
Instant Karma
Isso é Bossa Nova!
Irmãos Brain
Jornal da Lua
Juarez, o cabrito montês
Limão Expresso
Luz de Luma, yes party!
Jogando Conversa fora
Mas, bah!
Mais atitudes
Matérias repugnantes de um brejo
Melica
Memórias póstumas de um puto prestimoso
Meu cantinho
MOrsa sem pelo
Mulher é tudo bandida
Mulher Remédio
Neuróticos modernos - Filosofia mequetrefe
O estranho mundo de Mila
Oncotô?
Os pensamentos de eu e ela
Paola, a estranha
Papo de buteco
Pensar enlouquece, pense nisso
Pererecas em chamas
Pérolas políticas
Remembrança
Saber é bom demais
Sem frescura
She's like the wind
Sinceros receios
Smile
Sobre sapos, pererecas e afins
Somos todos uns cachorros
Sou para-raio de doido
Uma mente nada brilhante
Van Filosofia
Vertente
Wolverine responde



Fevereiro 2007

Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Dezembro 2009
Março 2010





Powered by Blogger



eXTReMe Tracker